Eficiente e pontual, o ataque do Atlético está comandando a reação do jovem time atleticano neste 2.º turno do Campeonato Paranaense. Vice-líder, com 10 pontos -dois a menos que o Londrina -, o Rubro-Negro conseguiu, nessas quatro primeiras rodadas do returno, quase dobrar a eficiência do setor ofensivo em relação ao 1.º turno. Na primeira parte do certame, foram apenas 13 gols em 11 jogos, com média de 1,18 gols por partida. Já no 2.º turno, em apenas quatro partidas, já foram 9 gols marcados e média de 2,25 gols por jogo.

A ascensão do ataque atleticano deve-se, e muito, à boa fase vivida pelo atacante Douglas Coutinho, de apenas 19 anos, que já caiu nas graças da torcida rubro-negra. Vice-artilheiro do Campeonato Paranaense com 7 gols – um a menos do que Celsinho, do Londrina, e Potita, do J. Malucelli -, o jogador é responsável por quase metade dos gols do Atlético anotados no 2.º turno. Dos nove, Coutinho balançou as redes dos adversários em quatro oportunidades neste returno.

Prova viva do mau desempenho do ataque rubro-negro no 1.º turno é o número excessivo de partidas em que o Atlético não conseguiu marcar mais de um gol por partida. Apenas em três oportunidades o Rubro-Negro conseguiu superar essa marca: Cianote (2 x 1), J. Malucelli (3 x 1) e Operário (3 x 0). No 2º turno, porém, a realidade é outra. Nos quatro jogos que o Atlético disputou, em todos o ataque atleticano conseguiu balançar as redes mais de uma vez por partida. Foram dois gols anotados nos duelos contra Rio Branco (2 x 1), Nacional (2 x 0) e Paraná Clube (2 x 2) e três marcados na vitória por 3 x 2 sobre o Toledo, anteontem, no Ecoestádio.

Se comparado o desempenho ofensivo do Atlético no 2.º turno com as últimas dez temporadas do Campeonato Paranaense – quando o Furacão colocou em campo o que tinha de melhor -, o jovem time atleticano consegue, surpreendentemente, superar as marcas de sete edições do Estadual. Está abaixo apenas dos anos de 2004 (média de 2,56), 2006 (média de 2,5) e 2007 (média de 2,52). Curiosamente, em nenhum desses anos o Atlético conseguiu levantar o caneco do Paranaense.

Já nas edições do Campeonato Paranaense em que foi campeão, nas temporadas de 2005 e 2009, a média de gols do Atlético não ultrapassou a marca atingida pelo Rubro-Negro neste 2.º turno do Estadual. Enquanto no primeiro ano o setor ofensivo do Furacão teve média de 2,05 gols por jogo, no segundo somou 2,04 por partida.