Entre os 23 jogadores convodados pelo técnico Vicente Del Bosque, um deles pode se sentir mais à vontade que os demais. Natural de Lagarto-SE, o atacante Diego Costa atuará durante a Copa do Mundo pela primeira vez como jogador profissional no País onde nasceu. Desde 2006, quando assinou com o Braga, de Portugal, ele atua na Europa e agora retorna ao Brasil para defender a camisa da Espanha.

Uma decisão que recebeu o apoio de alguns brasileiros, mas também várias críticas. Até por isso, o atleta acredita que pode sofrer com vaias e cobranças durante as partidas, mas que o mais importante é contar com o apoio da família. “Espero que seja tranquilo. Sei que não vai ser bem assim, que podem ter algumas manifestações, mas vou ter o apoio de muitos torcedores. Meus pais estão muito felizes por eu estar aqui. Eles sabem porque tomei esta decisão e me apoiam sempre”, disse o atacante do Atlético de Madrid.

Se depender da recepção que vem tendo no CT do Caju, Diego Costa não tem do que reclamar. Segundo ele, desde que pisou em Curitiba não teve nenhum problema por parte dos funcionários. “Estou vivendo um momento muito bom particularmente. Todos me tratam muito bem aqui, da maneira que eu espero, é impressionante. Não tenho nada do que reclamar”, completou.

Porém, no treino aberto de ontem ele já sentiu um pouco do que o aguarda. Assim que apareceu no gramado, foi chamado de traíra e recebeu vaias. Mas também ganhou aplausos e elogios.