A Assembleia Legislativa instala hoje a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) Obras da Copa do Mundo para apuração da condução dos empreendimentos de mobilidade urbana na cidade e de reforma e adequação da Arena da Baixada.

 

Ontem foram confirmados os nomes dos cinco deputados que farão parte da CPI. A comissão foi criada a partir do pedido do deputado Fábio Camargo (PTB) que inicialmente iria trabalhar com uma Comissão Especial de Investigação, mas acabou transformada em CPI para facilitar o processo. Também integram o grupo os parlamentares Jonas Guimarães (PMDB) e Ademir Bier (PMDB); Ney Leprevost (PSDB) e Mauro Moraes (PSDB); Toninho Wandscheer (PT) e Gilberto Ribeiro (PSB). O presidente da Assembleia, Valdir Rossoni (PSDB), já pediu agilidade na condução da CPI, não apenas nesta da Copa do Mundo, como nas outras que também serão abertas hoje (Grandes Devedores de Tributos, das Pesquisas do Ibope nas Eleições, Planos de Saúde e das Operadoras de Telefonia Móvel).

 

A comissão vai apurar a aplicação de recursos e o andamento das obras, tanto na cidade, que estão sob o risco de dobrar de custos, como do estádio. A Arena da Baixada, embora seja um bem privado, pertencente ao Atlético, vai fazer parte do processo por ter 2/3 do investimento de R$ 184,6 milhões oriundos do potencial construtivo, reconhecido como recurso público pelo TCE-PR.