O Autódromo de Interlagos está quase pronto para receber o GP do Brasil de Fórmula 1. Os últimos ajustes na pista serão realizados nesta terça-feira (28). Três trechos do asfalto ganharão grooving (ranhuras) para evitar o acumulo de água, já que a previsão dos meteorologistas é de 91% de chance de chuva para domingo.

Os trabalhos acontecerão na Reta Oposta, na Curva do Laranja e entre o Mergulho e a Junção. O engenheiro-chefe da organização do GP, Luis Ernesto Morales, explica que as ranhuras são necessárias devido à geometria do autódromo, pois existem trechos em que a pista é mais inclinada por causa do lado da curva.

“Cada ponto tem seu tamanho”, diz o engenheiro-chefe. “Quando a geometria da pista inverte, fica perigoso para o piloto, numa freada ou numa aceleração. Nossa intenção com o grooving é aumentar a aderência do asfalto, justamente nesses trechos”.

Além do grooving, Interlagos recebeu retoques na limpeza. Nesta segunda-feira, funcionários passaram o dia ocupados na retirada do lixo das arquibancadas, que estarão lotadas no domingo. “Esse ano não tivemos grandes preocupações”, afirma o diretor da prova, Carlos Roberto Montagner. “Quem quiser colocar o carro na pista, já pode entrar.”

Interlagos também não precisou de remendos nesta temporada. No ano passado, o asfalto foi inteiro refeito com um material de boa qualidade. Com isso, apenas um trabalho de manutenção teve de ser feito pelos organizadores, como os retoques na pintura para a sinalização.

Além dos acertos na pista, as equipes também aproveitaram o dia para colocar a mão na massa nos boxes. Ferrari, Renault e McLaren são as mais adiantadas na preparação e já estão com praticamente tudo pronto – a equipe italiana inclusive instalou equipamento de meteorologia. Por outro lado, a Williams é a única que manteve o material ainda lacrado.