Os governos da Argentina e do Uruguai oficializaram nesta quarta-feira a formação de comitê binacional para organizar a candidatura conjunta dos dois países sul-americanos para sediarem a Copa do Mundo de 2030.

O assunto já era discutido entre os dois países desde 2009, mas só nesta quarta-feira é que o acordo foi selado. Participaram da reunião os chanceleres dos dois países, assim como as federações nacionais da Argentina e do Uruguai.

“A possibilidade é muito concreta, tendo em vista que se crê que a Europa deve ser a sede do Mundial de 2026 e desejamos que em 2030 a Copa se realize no Rio da Prata”, afirmou o ministro do turismo da Argentina, Enrique Meyer.

Estão definidas as sedes dos três próximos mundiais: 2014 no Brasil, 2018 na Rússia e 2022 no Catar. Assim, a Copa de 2026 tende a ser realizada num país da Europa Ocidental, voltando para lá depois de trinta anos.

A Copa de 2030, assim, ficaria entre a América, a África e a Oceania. Os EUA e a Austrália, derrotados na disputa pela Copa de 2022, surgem como fortes concorrentes ao pleito dos sul-americanos, que têm um trunfo: o Mundial de 2030 comemorará os cem anos da competição, que teve sua primeira sede exatamente no Uruguai.