O árbitro Ito Dari Rannov e o assistente Paulo César Beskow vão recorrer da punição aplicada a eles no julgamento realizado segunda-feira, no Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná. Rannov informou ontem o advogado Domingos Moro, que os defendeu, que ele e Beskow pretendem levar ao pleno do TJD o caso do ?gol que não foi?.

Eles foram julgados pelo fato de terem confirmado o gol de Rodrigo, do Rio Branco, quando a bola bateu por fora da rede – por comemorar, Rodrigo foi suspenso por uma partida. Nos depoimentos, árbitro e assistente deixaram contradições no ar, e acabaram levando trinta dias de gancho. Bastante abalados, eles voltaram para o interior do Estado ainda na segunda, e somente na tarde de ontem manifestaram o desejo de recorrer.

Domingos Moro afirmou que a punição aos árbitros não seria possível depois dos auditores decidirem manter o resultado (1×1) da partida de 19 de fevereiro. ?Se foi confirmado o erro de fato, se ficou claro que não houve erro de direito, não há motivo dos árbitros serem suspensos?, afirmou.