Os resquícios da eliminação do Flamengo na Copa do Brasil não devem ficar restritas à moral da equipe. A súmula da partida desta quarta-feira, no empate em 2 a 2 com o Ceará no estádio Presidente Vargas, revela que o técnico Vanderlei Luxemburgo deverá ter problemas para escapar de uma dura punição do STDJ (Supremo Tribunal de Justiça Desportiva).

De acordo com a súmula assinada pelo árbitro Sandro Meira Ricci, Luxemburgo foi expulso porque “ao término do primeiro tempo, adentrou no campo de jogo com o intuito de retirar atletas de sua equipe que contestavam a arbitragem. Foi necessária a ação do policiamento para prevenir eventual contato físico entre os jogadores reclamantes a arbitragem, utilizando escudos policiais para afastá-los. Neste momento, o técnico do Flamengo deu um soco no escudo do policial Cláudio Ferreira de Araújo”, diz o documento.

O maior problema de Luxemburgo com o STJD, porém, deverá ser pelo que ele fez depois de expulso. De acordo com Sandro Ricci, na volta do intervalo, Vanderlei Luxemburgo se encontrou com ele em frente à porta de acesso ao vestiário do Flamengo e se dirigiu ao árbitro “aos gritos e repetidas vezes” afirmando: “Eu achava que você era honesto. Você é um pilantra! Ladrão!”, relata o juiz.

Ricci encerra as observações sobre o jogo criticando as instalações do Presidente Vargas, uma vez que o acesso ao vestiário dos árbitros é o mesmo do vestiários das equipes, “o que gera uma situação de desconforto e constrangimento, além de insegurança, em caso de qualquer incidente na partida”, destaca o árbitro.