Arapongas e Cianorte entram em campo, hoje, buscando uma inédita classificação para a segunda fase da Copa do Brasil. Jogando em São Paulo, as duas equipes, que enfrentam São Caetano e Grêmio Barueri, respectivamente, têm grandes chances de avançar, uma vez que contam com a vantagem do empate.

No primeiro jogo, no Albino Turbay, o Leão do Vale venceu o Barueri por 2 x 1. Para este confronto, o técnico Ronaldo Bagé terá uma série de desfalques. Entre eles, o volante Jovane e o meio-campo Paulinho, que estão lesionados, além dos meio-campistas Juliano e Peter, e o atacante Ícaro – todos cumprem suspensão.

O caso do Arapongão é um pouco mais tranquilo. Como venceu o Azulão por 1 x 0 no Estádio dos Pássaros, o clube também precisa de um simples empate, mas pode perder por qualquer diferença mínima, desde que marque um gol fora de casa. Além disso, se pelo menos um deles avançar, irá encerrar um tabu que já dura cinco anos. Desde 2008 uma equipe do Interior do Estado não passa da primeira fase do torneio. A última vez que isso ocorreu foi com o Paranavaí. Na ocasião, o então campeão paranaense eliminou o Águia de Marabá-MS, após vencer por 4 x 3 fora de casa e empatar por 3 x 3 no Waldemiro Wágner.

Antes do Paranavaí, o Rio Branco, em 2007; o Iraty, em 2006; o próprio Cianorte, em 2005, o Londrina, em 2004, 2002 e 1993, e o União Bandeirantes, em 1993, foram os outros interioranos que não foram eliminados logo no primeiro duelo. O Leão da Estradinha, no entanto, não pôde disputar a segunda fase, devido a inscrição irregular de dois jogadores, e acabou eliminado da competição.

Já o Tubarão, em 1993, fez a melhor campanha entre times do interior paranaense na Copa do Brasil. Chegou à terceira fase do torneio (referente às quartas de final daquele ano, devido ao número menor de participantes) quando eliminou Comercial-MS e Internacional, mas foi eliminado pelo Flamengo.