O joelho esquerdo do meio-campo Kaká continua inflamado após a cirurgia realizada no dia 23 de maio por conta de uma lesão no menisco.

Segundo o coordenador do MilanLab, Jean-Pierre Meersseman, os dois problemas não estão relacionados. A operação curou o menisco, mas a inflamação continuou. Dessa forma, ao contrário do previsto, o recurso da intervenção cirúrgica acabou retardando o tempo de recuperação.

Meersseman explicou que “nunca disse que operar seria inútil. Certamente, a cirurgia seria feita. O fato é que acabou retardando a recuperação. Em todo caso, existe um real perigo. Agora, há uma região muito inflamada que compreende os tendões de dois músculos e o ligamento”.

Mesmo assim, o médico assegurou que não se trata de uma dor crônica, mas é preciso acompanhar de perto. “Precisamos trabalhar de modo específico e é preciso de um mínimo de tempo, porque a região está muito inflamada”.

Meersseman evitou fazer um prognóstico de quanto tempo será preciso para a recuperação.