O técnico argentino, Diego Armando Maradona, afirmou que continua à frente da seleção de seu país após a derrota sofrida para o Brasil, por 3 a 1, nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2010. “Falei com Julio [Grondona, presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA)] e com Carlos [Bilardo, diretor-técnico da seleção]”, disse o treinador, confirmando permanência à frente da equipe argentina.

Maradona também assumiu a “responsabilidade” pela derrota e evitou criticar seus jogadores. Ao mesmo tempo, defendeu Lionel Messi, que não apresentou lá um grande desempenho. “A responsabilidade é minha. Jamais responsabilizaria um jogador”, enfatizou o argentino, que explicou que Messi “não joga apenas na equipe argentina” e, portanto, não pode ser tão cobrado.

“Agora vamos continuar trabalhando, ir ao Paraguai [disputa da próxima quarta-feira, ndr.] e ver se vencemos. Vai ser difícil, fica complicado depois da derrota de hoje, mas futebol tem dessas coisas”, reconheceu.

Na disputa de ontem, com três rodadas de antecedência, o Brasil de Dunga garantiu sua vaga no Mundial da África do Sul. A seleção brasileira já retornou ao país e na quarta-feira enfrenta o Chile, sem Kaká e sem Lúcio, que levaram cartão amarelo.