O técnico Caio Júnior não resistiu à sequência de três derrotas seguidas no Campeonato Brasileiro, acrescida da eliminação da Copa Sul-Americana, para o Coritiba, nos pênaltis, e foi demitido, na noite deste domingo, do Vitória, momentos depois de perder por 1 a 0 para o Criciúma em casa. “Sinto muito orgulho de ter sido treinador do Vitória e agradeço à diretoria pela oportunidade”, disse o treinador.

Segundo ele, o resultado deste domingo foi injusto, pela quantidade de oportunidades criadas pelo time, principalmente no segundo tempo. “Mas futebol não é uma ciência exata”, lamentou. “Fizemos um Campeonato Brasileiro digno, minha vida segue e tenho certeza que o grupo vai reverter este momento difícil.”

O diretor de futebol do Vitória, Raimundo Queiroz, disse que a demissão de Caio Júnior foi decidida após a partida. “A gente tem jogos toda quarta e domingo, então às vezes a gente precisa tomar essas atitudes rapidamente, porque não temos tempo”, justificou.

Além disso, o dirigente contou que ainda não há substituto para o cargo. “Vamos discutir o perfil do novo treinador amanhã (segunda-feira) e tomar as providências, dentro das nossas necessidades e possibilidades, o mais rápido possível”. Nos bastidores, ganha força o nome de Ney Franco.

Caio Júnior havia assumido o Vitória em dezembro do ano passado. Este ano, conquistou o Campeonato Baiano, em campanha marcada pelas duas grandes goleadas sobre o arquirrival Bahia, por 7 a 3 e 5 a 1, mas sofreu eliminações precoces na Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Sul-Americana.

No Campeonato Brasileiro, o Vitória chegou a figurar entre os quatro primeiros colocados, mas perdeu rendimento nas últimas rodadas – quando alguns jogadores mais experientes do time, como os meias Escudero e Renato Cajá, passaram a desfalcar a equipe, por contusões. Na rodadas anteriores, a equipe havia perdido para o Cruzeiro, por 5 a 1, no Mineirão, e por 2 a 0, para o Santos, na Vila Belmiro.