Após fechar com o técnico Oswaldo de Oliveira, que deve assinar contrato ainda nesta semana, a diretoria do Palmeiras sonha contratar um bom atacante para a próxima temporada. A ideia trazer um nome de peso, além de manter Henrique, artilheiro do time no Campeonato Brasileiro. Até agora só um reforço foi confirmado: o volante Amaral, que estava no Goiás.

A diretoria ao menos agiu rápido para contratar um novo treinador. Neste fim de semana, avançaram as negociações com Oswaldo de Oliveira, que deve assinar contrato nesta semana – possivelmente até esta terça-feira. O vínculo vai durar uma temporada, até o final de 2015.

Oswaldo de Oliveira foi o preferido de uma lista com cinco nomes – um que não foi revelado pela direção palmeirense, além de Abel Braga, Argel Fucks e Mano Menezes – e vai receber salários por volta de R$ 300 mil. Ele será um dos treinadores com passagens pelos quatro grandes: já dirigiu o São Paulo, o Corinthians e o Santos.

O presidente Paulo Nobre olhou para a relação custo-benefício. Na última quarta, o novo gerente de futebol Cícero Souza teve uma reunião com Oswaldo de Oliveira e ofereceu R$ 250 mil de salário – R$ 50 mil a mais do que recebia Dorival Júnior. O treinador não gostou da primeira proposta e foi necessário que Alexandre Mattos entrasse na negociação. Foi o dirigente, inclusive, quem sugeriu a contratação do ex-técnico do Santos.

Alexandre Mattos está no exterior para acertar algumas negociações do Cruzeiro e, assim que retornar, deve assumir oficialmente o cargo de diretor executivo do Palmeiras. Entretanto, ele já trabalha para o clube alviverde e fez questão de ligar para Oswaldo de Oliveira e subir a proposta para R$ 300 mil, patamar que ganhava Gilson Kleina. No Santos, Oswaldo recebia R$ 400 mil.

Em 2015, o Palmeiras jogará três ou quatro competições: Campeonato Paulista, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro – pode jogar a Copa Sul-Americana se for eliminado antes das oitavas de final da Copa do Brasil. A estreia na temporada será no dia 1.º de fevereiro, pelo Paulistão, contra o Audax, no estádio do Pacaembu, em São Paulo.