A falha de Vagner no empate do Palmeiras com a Chapecoense por 1 a 1 pode custar caro ao goleiro. O técnico Cuca pensa na possibilidade de dar uma oportunidade para Jailson na partida contra o Vitória, domingo, no Allianz Parque. Antes de tomar a decisão, o treinador terá uma conversa com o atual titular para saber como ele está psicologicamente. Caso Jailson também não agrade, a diretoria deve reforçar a busca por um reforço no setor.

A diretoria já monitora alguns nomes, mas ainda não encontrou ninguém que agradasse e estivesse disponível para chegar agora. Nesta sexta-feira, o elenco desembarcou em São Paulo vindo de Chapecó e Vagner demonstrava tranquilidade, mas não deu entrevista. Na quinta-feira, uma saída do gol errada fez com que a bola sobrasse livre para Kempes abrir o placar. No segundo tempo, o goleiro quase cometeu um pênalti ao sair em uma jogada de forma atabalhoada.

Cuca admitiu, após o jogo, que pensa tirar Vagner do time. “O goleiro falhou e ele sabe que falhou. Teve um segundo erro no segundo tempo, em uma bola com o pé. Se o Hyoran é um menino mais experiente, ele ganha o pênalti e ainda me tira um jogador expulso. Agora é ver o emocional do jogador. Isso passa por mim, pelo Oscar (Rodríguez, preparador de goleiros) e pelo preparador físico”, disse Cuca.

“Se ele tiver personalidade para jogar é uma coisa, se estiver para baixo é hora de você colocar um outro jogador. Não tem de definir agora”, completou o comandante palmeirense.

O goleiro Fernando Prass passou por cirurgia na quarta-feira e só volta aos gramados no ano que vem. Além de Vagner e Jailson, a equipe conta com Vinicius Silvestre e Daniel Fuzato, dois jovens da base.

Nesta sexta-feira, o volante Tchê Tchê saiu em defesa do companheiro. “Erros acontecem, podia ser com qualquer um. Ele tem total apoio do grupo. Todo mundo confia muito nele. Se não fosse com ele, poderia ser com outro jogador”, disse o jogador. O Palmeiras recebe o Vitória neste domingo, às 16h, no Allianz Parque.