Apesar dos jogos disputados e nervosos que Palmeiras e Santos fizeram no ano passado, principalmente nas decisões do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil, o lateral Victor Ferraz afirma que não restaram rusgas para o primeiro clássico das duas equipes de 2016, que será disputado sábado, no Allianz Parque. “Rivalidade tem, como tem com São Paulo e Corinthians, mas não tem nenhum tipo de rusga do ano passado”, disse o lateral em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira, no CT Rei Pelé.

Para o lateral, o rival está reforçado, mas manteve o padrão tático. O Palmeiras tem a base do ano passado, campeã da Copa do Brasil. As principais novidades foram as contratações do zagueiro Edu Dracena (Corinthians), dos meias Moisés (Rijeka-CRO) e Régis (Sport) e do atacante Erik (Goiás). “Eles contrataram, mas o estilo de jogo é bem parecido. Tem um jogo de muita ligação direta”, opina o santista.

Os jogadores do Santos não acreditam que terão vantagem física em relação ao adversário. Enquanto os santistas têm uma semana livre para treinamentos, o Palmeiras estreia na Libertadores nesta terça-feira diante do River Plate, do Uruguai, fora de casa. “Se ganharem ou não na Libertadores, sábado vai ser um jogo muito parelho, com muita vontade”, explica.

As oscilações do Santos no início do Campeonato Paulista – foram duas vitórias e dois empates – foram motivo de cobranças do técnico Dorival Júnior. “O Dorival vem cobrando bastante e nós precisamos melhorar. Temos de aproveitar a oportunidade, ficar um pouco mais com a bola, marcar mais”, afirma Victor Ferraz.