Na busca por reforços para a defesa, o São Paulo afirmou que o valor elevado pedido pelo Atlético pelo zagueiro Manoel impediu que a negociação prosseguisse. O jogador está afastado pela diretoria do clube paranaense desde o fim da participação da Copa Libertadores, ainda na fase de grupos, e despertou o interesse de outras equipes.

O preço estipulado pelo presidente do Atlético, Mario Celso Petraglia, é de R$ 18,4 milhões, montante que impossibilitou o avanço da negociação. “Nunca chegamos a procurar o jogador, mas soubemos que o valor necessário era elevado demais para as nossas possibilidades”, afirmou o vice-presidente de futebol do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro.

Segundo o empresário do zagueiro de 24 anos, Neco Cirne, a situação de Manoel com o clube ainda está complicada e ainda é difícil dizer qual o será destino dele. “A partir da próxima semana ficará mais claro para onde ele deve ir. Estamos em litígio com o Atlético e primeiro temos que resolver isso”, explicou o agente.

De acordo com nota oficial publicada no site do Atlético, Manoel foi afastado do elenco “em função do comportamento mostrado, das declarações constantes e claras que pretende sair e não mais continuar vestindo a camisa do clube que lhe acolheu e lhe deu todas as condições desde 2006”. O clube afirmou que o jogador seguiria treinando separado do restante do elenco até ser negociado ou até o término do contrato, em dezembro de 2015.