O espanhol Fernando Alonso comemora neste fim de semana a marca de 250 GPs disputados, mas não deverá ter outros motivos para celebrar. Afinal, além das dificuldades naturais enfrentadas pela falta de competitividade do carro da McLaren na atual temporada da Fórmula 1, ele foi punido com a perda de 35 posições no grid de largada do GP da Rússia, o que deverá levá-lo a largar da última fila na prova de domingo no Autódromo de Sochi.

A punição a Alonso foi anunciada pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA) nesta sexta-feira e se dá por causa pela troca de vários componentes do seu motor. A Honda, inclusive, optou por realizar as mudanças para o GP da Rússia ao invés de guardá-las para a próxima prova, o GP dos Estados Unidos, por avaliar que a McLaren tem chances de ser mais competitiva no Circuito das Américas.

Alonso vai usar seu décimo motor de combustão interna nesta temporada. Além disso, utilizará seu nono turbocompressor, também o nono MGU-H, além da sexta central eletrônica. Tudo somado rendeu a pena de 35 posições no grid de largada.

Além de Alonso, outro piloto punido pela FIA é o espanhol Roberto Merhi, que reassume um dos carros da Marussia após ser substituído nas últimas duas provas pelo norte-americano Alexander Rossi. Ele vai perder 20 posições por usar quintos motor de combustão interna, turbocompressor e MGU-H.

Diante disso, antes mesmo da realização do treino de classificação do GP da Rússia, já é possível dizer que Alonso e Merhi vão largar da última fila, a não ser que outro piloto receba alguma punição antes do início da corrida no próximo domingo.