O ex-piloto brasileiro da MotoGP, Alexandre Barros, apresentou nesta segunda-feira os detalhes de seu novo projeto: a Copa Brasil de motovelocidade, competição que pretende reunir pilotos profissionais e amadores em três categorias.

A intenção é fortalecer o motociclismo no Brasil para descobrir novos talentos e trazer novamente a categoria mais importante da modalidade para o País. Serão seis etapas, cada uma com duas corridas entre maio e setembro.

Quatro delas serão realizadas em Interlagos, uma no autódromo de Curitiba, e outra no Rio de Janeiro. Existe ainda a possibilidade de Londrina entrar no calendário da competição, que tem in ício marcado para o dia 13 de maio, no circuito paulistano.

“Esse projeto começou em 2009. Fui conhecendo a necessidade do mercado, a carência dos outros campeonatos, por que o motociclismo não decola no Brasil e a gente não tem representantes lá fora”, afirmou Barros. A meta da organização é a existência de cinco campeonatos nos próximos cinco anos.

Inicialmente, a Copa Brasil contará com duas categorias multimarcas: a GP 1000 AM, para pilotos amadores, e a Moto 1000 GP, para pilotos e equipes profissionais. Além delas, haverá a Copa BMW S1000 RR, batizada com o nome do modelo da montadora alemã que será utilizado pelos competidores.