Alex viveu 90 minutos de emoção no último domingo. Sua despedida do futebol foi digna do jogador que ele foi, um craque, capaz de conquistar três grandes torcidas no Brasil e outra na Turquia. Com a camisa do time de coração, o Coritiba, viveu a última página de sua carreira na vitória por 3 a 2, de virada, sobre o Bahia, e ao se despedir fez questão de agradecer o clube que também o lançou para o futebol.

“Estou feliz, alegre, muito satisfeito com o que vimos na tarde de hoje, com o que vi na carreira toda. A torcida do Coritiba, mais uma vez, fez o seu papel. Estava um jogo muito festivo, o Bahia não tinha nada a ver com isso e fez 2 a 0. Mas a gente recuperou, no final foi premiado. Hoje foi tranquilo, teve muita coisa, muita entrevista, muito assunto sobre a partida, então não deu nem para ficar muito nervoso”, comentou.

Mas Alex não poderia ir embora sem um último adeus ao Couto Pereira. O estádio que o viu deixar o futebol foi o mesmo palco dos primeiros toques do jogador, desde a infância, quando chegou ao Coritiba, até o início da vida profissional, em 1995, com 17 anos. Por isso, quando a torcida e a imprensa já haviam ido embora, o meia voltou ao gramado para uma despedida mais particular.

“O Couto Pereira significa muito para mim. Eu cheguei aqui aos nove anos de idade. Arranjei minha primeira namorada aqui, a minha mulher eu conheci aqui, era filha do presidente. A minha entrada na adolescência e na fase adulta eu vivi aqui. O Couto Pereira mudou muito, mas eu conheço cada buraco que existe por baixo dessas arquibancadas”, afirmou.

O momento foi a forma que Alex encontrou de dizer “obrigado” ao estádio. “Fui ali dar meu tchau, porque não volto mais ali para jogar futebol. Talvez eu volte para alguma pelada, mas valendo três pontos, com essa energia e atmosfera, com aquilo que o Couto Pereira representou para mim como torcedor, representa para mim como jogador, eu não vou ter mais. Eu fui ali para agradecer ao estádio que tantas alegrias me deu.”

E a companhia neste adeus não podia ser melhor. Alex levou seu filho, Felipe, de apenas quatro anos. “Ele é novinho ainda, mas é apaixonado por futebol. Ele me faz um milhão de perguntas e às vezes as respostas são difíceis para você dar para uma criança de quatro anos. Eu só voltei ao gramado para deixar ali o meu tchau”, explicou o agora ex-jogador.