Fávaro e Juninho subiram no conceito
do técnico e torcida e garantiram
a posição para amanhã.

Um mês e quatro dias de sofrimento doem, e bastante. Por isso, a vitória do Coritiba sobre o Cruzeiro fez eclodir uma onda de alegria há bom tempo não vista no Alto da Glória.

Era a recuperação desejada, vinda da melhor forma possível – ganhando de virada, com participação decisiva dos novos titulares e dos que foram preteridos. Pelo visto, nem o mais otimista dos coxas acreditava em uma retomada tão gratificante. Mas todos estão animados de volta, e confiantes em uma vitória sobre o Internacional, amanhã, às 16h, no Beira-Rio.

E o técnico Paulo Bonamigo pôde saborear o efeito das suas alterações. Ele apostou na identificação dos jovens Marcel, Alexandre Fávaro e Juninho, criados no Alto da Glória, e deu certo – no gol de empate, o “Príncipe” levou quase todos os jogadores para perto da torcida. “Esses jogadores devolveram a alma à equipe”, resume o treinador alviverde.

Com a nova equipe, foi retomada a ?humildade tática? pregada pelo técnico nos últimos dias. “Nós voltamos a ser o time que fomos e boa parte da competição”, afirma. Com a humildade, voltaram valores fundamentais do time. “Voltamos a ter aquele equilíbrio que sempre tivemos, e com ele veio a confiança, que estava perdida nos últimos jogos. A recuperação foi muito boa”, garante Bonamigo. Para completar, Lúcio Flávio, Lima e Reginaldo Araújo saíram do banco para virar o jogo.

Era o complemento ideal para a vitória, que foi sucedida por um encontro isolado dos atletas no gramado. “Foi a vitória de um grupo que sabe das suas qualidades e que admira e muito o trabalho do Bonamigo. Isso provou que nós somos importantes para ele e ele da mesma forma para nós”, afirma Reginaldo Araújo. Uma vitória que fora ?cantada? pelo lesionado Edinho Baiano. “Ele estava na preleção e me disse que sentiu o grupo muito animado, e que nossa má fase estava acabando”, conta o zagueiro Picolli.

O gosto do resultado foi bom, mas é só o início. “Não fizemos nada ainda”, diz Picolli, um dos mais serenos depois da partida. “A recuperação ainda precisa ser confirmada, e vamos ter que fazer isso a partir do jogo contra o Inter”, acredita. “O nosso objetivo é a classificação, e não podemos descansar enquanto não garantirmos a nossa vaga”, finaliza Bonamigo.

Chances

No equilíbrio do campeonato brasileiro, uma vitória anda fazendo diferença. O resultado de quarta fez o Coritiba melhorar o aproveitamento (que subiu para 50%) e também crescer a possibilidade de classificação entre os oito melhores da competição. Segundo o matemático Tristão Garcia, o Cori agora tem 35% de chances – na conta de Garcia, uma equipe chegará à segunda fase com 41 pontos e 12 vitórias.

Três desfalques

Era o que Paulo Bonamigo queria. O treinador do Coritiba sempre dissera que tinha todo um grupo de jogadores pronto para jogar, e que poderia usá-lo quando necessário. E, no momento mais difícil da equipe no campeonato brasileiro, o elenco deu a resposta e conseguiu a recuperação. Agora fica a dúvida: quem vai jogar amanhã contra o Inter?

São três os desfalques do Cori para o jogo de amanhã: Edinho Baiano, Reginaldo Nascimento (lesionados) e Roberto Brum (suspenso). Bonamigo também contará com o retorno de Da Silva, que cumpriu suspensão na quarta-feira. A vaga de Roberto Brum é disputada por Ataliba e Pepo, enquanto Lúcio Flávio deve retornar ao time titular no lugar de Sérgio Manoel. O treinador coxa só define o time hoje, mas já garantiu a permanência de Marcel no comando do ataque. (CT)