O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, anunciou nesta quarta-feira que deverá deixar a pasta em dezembro, quando serão inaugurados os últimos estádios para a Copa do Mundo de 2014. “Aí, completa um ciclo. Nós queremos cumprir o cronograma estabelecido e ter os 12 estádios das 12 cidades-sede. Não vai ter grandes problemas”, garantiu o ministro, que foi indicado pelo PCdoB como pré-candidato ao governo de São Paulo.

Aldo Rebelo contou que a ideia de sair do governo em dezembro foi dele, mas deu sinais que ainda pode mudar de ideia caso a presidente Dilma Rousseff queira mantê-lo na pasta. “Na vida você não pode fechar as portas para nenhuma possibilidade”, desconversou.

Além da entrega dos seis estádios que ainda estão em obras, Aldo Rebelo se comprometeu em finalizar a Matriz de Responsabilidades para a Olimpíada de 2016 e concluir o processo de licitação das obras, tarefa realizada em conjunto com a prefeitura do Rio. Antes de sair, o ministro também divulgará um novo balanço dos preparativos da Copa de 2014. “Mesmo que seja incompleto, mas vai sair”, afirmou.

Na conversa desta quarta-feira, o ministro descartou a possibilidade de sair antes de dezembro e afirmou que não pretende indicar seu substituto. “É um problema do partido e dela (a presidente Dilma). Eu não vou indicar”, disse.

Ele também afirmou que vem pensando sobre a possibilidade de disputar o governo de São Paulo “há muito tempo” e que a possível candidatura ocorrerá no campo da aliança com a presidente Dilma. “É isso que nós planejamos”, ressaltou o ministro, que se definiu como “um cumpridor de tarefas” do PCdoB. “Campanha não dá mais trabalho que Copa do Mundo, não”, brincou com os jornalistas.

SEGURANÇA – O ministro não manifestou preocupação com as ameaças do Primeiro Comando da Capital (PCC) de agir durante a Copa de 2014. “O Brasil é um País com muitos problemas, mas razoavelmente sofisticado em algumas coisas. Temos um sistema de segurança que tem a Polícia Federal, o Ministério da Defesa, a Força Nacional, além das instituições policiais com tradição. Não creio que uma organização criminosa possa ameaçar um evento como a Copa do Mundo”, avaliou.

UNIVERSIDADE DO ESPORTE – De acordo com o ministro, com o apoio do Ministério da Educação, o governo vem discutindo a possibilidade de transformar o Parque Olímpico dos Jogos de 2016 em uma Universidade Pública do Esporte. A ideia é criar uma instituição de ensino com cursos voltados para área: administração esportiva, marketing esportivo, jornalismo esportivo, medicina e fisioterapia do Esporte, psicologia e nutrição voltada para a área.

“Não estaríamos inventando alguma coisa diferente do que outros países já têm”, afirmou Aldo Rebelo, atribuindo a ideia à aproximação com experiências vividas em universidades dos Estados Unidos, Ucrânia, Rússia e da Europa. “Apostamos que isso pode ser feito no Brasil também aproveitando o legado da Olimpíada”, concluiu.