O técnico Marcelo Oliveira reconheceu que o Palmeiras ainda busca a formação ideal, está se formando dentro durante a temporada e, por isso, oscila no Campeonato Brasileiro. Após a derrota para o Inter, por 1 a 0, na última quarta-feira, a equipe ficou mais longe do G4 – a distância agora é de três pontos.

“É um elenco de boa qualidade. O problema é que não temos um time ainda. Estamos formando o time durante a competição, e a dificuldade aumenta com as lesões e a ausência de jogadores”, disse o treinador em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, na Academia de Futebol. “Fica muito claro que Corinthians e Atlético-MG, que têm a base dos anos anteriores, jogam de uma forma muito mais natural e tranquila, enquanto o Palmeiras oscila”, compara o treinador.

Marcelo exemplificou o estágio de formação da equipe com a zaga. O setor tem sido um dos grandes dramas do Palmeiras no Campeonato Brasileiro. Nos últimos 11 jogos, o time levou sete gols de bola parada. Na partida contra o Figueirense, neste sábado, em casa, ela será formada por Jackson e Vitor Hugo. “O Vitor Hugo tem jogado muito bem, mas o companheiro ainda está sendo testado. Nesse período desse ano, já deveríamos ter um time formado. Esse jogo de amanhã devem jogar Jackson e Vitor Hugo.”

Um dos fatores que aumenta a confiança do treinador para a partida é a volta de quatro titulares: Lucas, Arouca, Robinho e Gabriel Jesus. Marcelo nega que o fato de o time não ter vencido nos últimos três jogos aumente a pressão. “Sempre temos a obrigação de vencer, mas é jogo de futebol. Tem de estar firme, concentrado, porque existe pressão em qualquer jogo. Com todos os problemas que tivemos e a falta de regularidade, ainda estamos a três pontos do G4 e vivos na Copa do Brasil”, afirmou Marcelo Oliveira.