A quadrilha internacional acusada de agir no grande escândalo de manipulação de resultados na Europa, revelado na sexta-feira passada pela polícia alemã, forneceu sedativos para equipes de médicos e cozinheiros de hotel com o objetivo de drogar jogadores acusados de participar de partidas arranjadas. A informação foi dada pelo advogado Burkhard Benecken, que defende um pessoa presa por ser acusada de participar do esquema que visa beneficiar apostadores.

Procuradores alemães que comandam a investigação acreditam que os integrantes da quadrilha usaram pressão e não hesitaram em “trancar pessoas em porões” ou “sedar jogadores”, disse Benecken. “Segundo os procuradores, eles foram extremamente violentos”, acrescentou o advogado, que revelou que um médico de um time da Eslovênia deu sedativos para os próprios jogadores da equipe, enquanto cozinheiros de hotéis de luxo forneceram drogas para prejudicar os atletas.

Benecken representa uma das 15 pessoas presas na Alemanha por envolvimento no escândalo revelado pela polícia alemã, que diz investigar 200 partidas suspeitas de manipulação, entre elas algumas válidas por fases preliminares da Liga dos Campeões, principal torneio do futebol europeu.

O cliente de Benecken, identificado apenas como Deniz C, é acusado de sequestro e fraude e suspeitasse que ele tenha arrecadado perto de 1 milhão de euros em apostas por meio de partidas manipuladas.

Além das 15 pessoas presas na Alemanha, outras duas foram detidas na Suíça. Os procuradores que cuidam do caso acreditam que a quadrilha agiu por meio de suborno de jogadores, treinadores, árbitros e dirigentes para manipular os jogos e beneficiar os apostadores.

Na última quarta-feira, a Uefa, entidade que controla o futebol europeu, promoveu uma reunião em sua sede, em Nyon, na Suíça, com a presença de dirigentes da entidade e de associações e ligas nacionais da Áustria, Bélgica, Bósnia, Croácia, Alemanha, Hungria, Eslovênia, Suíça e Turquia, países que têm clubes acusados de participar de partidas arranjadas.

A Uefa ainda chegou a divulgar uma lista de sete jogos supostamente envolvidos no escândalo de manipulação de resultados. A entidade informou que os seguintes cinco clubes de quatro diferentes países são suspeitos de estarem envolvidos nos tais jogos manipulados: Tirana e Vilaznia (Albânia), Dinaburg (Letônia), Llubljana (Eslovênia) e Honved (Hungria).