Ronaldo deixará de ganhar cerca de 4 6 milhões de euros por ano com sua saída da Inter. De fato, a transferência do jogador para o Real Madrid reflete a complexa realidade financeira do futebol europeu.

A venda do craque foi apenas realizada depois que patrocinadores, o jogador, o Real Madrid, a Inter e até o Barcelona entraram em um acordo sobre de que forma as obrigações financeiras de cada uma das partes seria solucionada.

O primeiro a ceder foi o próprio Ronaldo. Segundo o jornal espanhol El Pais, o jogador aceitou pagar à Inter pelas perdas em propagandas que o clube teria com sua saída. A Nike garantia ao clube italiano uma renda de 10 milhões de euros por ano (cerca de US$ 10 milhões). Com a saída de Ronaldo, o clube apenas receberia 6 milhões de euros. O jogador, então, propôs pagar, de seu próprio bolso, 2 milhões de euros anuais à Inter para cobrir parte do déficit.

Ronaldo ainda aceitou um salário menor que o que recebia na Inter. De 12,6 milhões de euros por ano, o craque passa a receber 10 milhões de euros. No total, portanto, Ronaldo deixa de ganhar 4,6 milhões de euros por ano com sua saída da Inter.

A segunda peça do quebra-cabeça foi a intervenção do Barcelona, ex-equipe de Ronaldo. Para garantir a transação, além de um pagamento, o Real cederia Morientes à Inter. A idéia do clube de Milão, porém, era revender o espanhol ao Barcelona. Para isso, porém, os diretores do Inter queriam uma confirmação por parte do time catalão de que, de fato, comprariam o jogador.

Patrocínios – Finalmente, o último elemento da transação seria a situação dos contratos com patrocinadores assinados por Ronaldo.

Segundo o acordo com o Real Madrid, o jogador fica liberado para cumprir suas obrigações com a Brahma, Tim, Parmalat, Pirelli e Guaraná. Em troca, Ronaldo cede 50% de seus direitos de imagem ao Real.

O obstáculo, que acabou sendo resolvido, foi quanto ao patrocínio vitalício da Nike ao jogador, que o rende por ano 3 milhões de euros. O problema é que o Real Madrid é patrocinado pela Adidas e um acordo teve que ser encontrado entre as duas empresas para que o brasileiro pudesse finalmente vestir o uniforme branco do Real.