A meta de Abel é confundir
o treinador adversário.

Acompanhe o jogo on-line

O técnico Abel Braga, do Atlético, aposta no mistério para enfrentar o Cruzeiro, hoje, em Belo Horizonte. Mesmo virtualmente desclassificado, o treinador do Rubro-Negro só vai divulgar a escalação de sua equipe momentos antes da partida.

A meta é confundir o treinador adversário e voltar para casa com os três pontos e ainda com a possibilidade (mesmo que remota) de passar à outra fase. O confronto com os mineiros está programado para as 16 horas no Estádio Independência.

Para conseguir seu objetivo, Abelão (que não confirma os titulares) aposta numa arapuca com três zagueiros e três volantes. Com isto, ele exploraria os contra-ataques liberando os alas e os atacantes para buscar a meta adversária. Para esta partida, ele não poderá contar com o meia Adriano (expulso) e com o volante Cocito (contundido no músculo adutor da coxa direita). Em contrapartida, ele terá as voltas do lateral-esquerdo Fabiano, do volante Alan e do atacante Kléber.

“Eu posso usar o próprio Fabrício, se quiser fazer o quadrado, ou o próprio Dagoberto, se quiser colocar os três atacantes. O certo é que eu vou jogar com os três atrás porque não tenho o Cocito”, despista o técnico. De acordo com ele, os jogadores já estão sabendo quem joga e como o zagueiro Ígor confirmou ter tido uma conversa com o Abel, também irá para o jogo. Com isso, Douglas Silva deverá ser adiantado para a meia e formar a dupla de marcação com Alan. Neste caso, Kléberson seria adiantado para armar as jogadas de ataque. A única confirmação do treinador é de que o sistema 3-5-2 será mantido. “Os três atrás foi usado na campanha do campeonato todo. Por que vai mudar o sistema de jogo? Agora, a divulgação da equipe só lá”, desconversa.

Mistérios à parte, o Atlético tem hoje mais uma oportunidade de apagar a má imagem deixada na temporada. Com apenas 1% de chances de classificar, o time precisa da vitória para chegar respirando à última rodada da competição. Contra o Galo e contra o Paysandu, o time saiu de campo vaiado e está desacreditado pela torcida, que não confia mais em uma recuperação. As principais críticas são a de “morrer” no segundo tempo e permitir uma reação dos adversários.

Kléberson volta à função de armador

O meia Kléberson, do Atlético, não está se abalando com as constantes vaias da torcida para seus erros em campo. Ele reconhece que não passa por uma boa fase, mas diz estar trabalhando para voltar a atuar como nos seus melhores dias. Contra o Cruzeiro, ele ganha a função de armador e irá atuar chegando próximo de Alex Mineiro e Kléber. Em entrevista à Tribuna, o pentacampeão garante que o time vai lutar para deixar a melhor impressão possível no final do Campeonato Brasileiro.

Paraná-Online

– Qual é a meta do Atlético nessas duas últimas partidas?

Kléberson

– O importante é vencer. Ainda mais pelos resultados que a gente vinha tendo por aí e dois resultados positivos nessa altura será maravilhoso para nós. Vamos continuar trabalhando para que a gente possa conseguir essas vitórias.

Paraná-Online

– A tua cabeça está boa para jogar já que há muita cobrança?

Kléberson

– Realmente a cobrança há. Pelas conquistas que eu tive e pelo que eu fui capaz de fazer, a cobrança há. Mas eu estou tranquilo e cabe a mim, a cada dia, estar treinando, estar bem e ajudar a equipe.

Paraná-Online

– Incomoda quando a torcida te vaia?

Kléberson

– Não, não incomoda de jeito de nenhum. Cabe a nós ignorar isso aí e concentrar dentro do jogo. É válido, da torcida, as coisas boas. Os aplausos e os incentivos te motivam. Mas, se as críticas que vem, interferissem na sua cabeça, você cairia de rendimento. Eu procuro não escutar muito isso e só fico concentrado no jogo para entrar em campo e fazer um belo jogo.

Paraná-Online

– Você está ansioso para mais uma convocação?

Kléberson

– Quem sabe, vamos esperar para ver. Tem três vagas e vamos continuar na expectativa e procurar fazer um bom trabalho nos jogos que restam. Tem grandes jogadores que se destacaram no Campeonato Brasileiro e que também merecem estar entre os relacionados. Quem o professor Zagallo escolher irá fazer um bom trabalho. (RS)

Um time cheio de dúvidas

No Cruzeiro, o técnico Vanderlei Luxemburgo terá de escalar praticamente todo o meio- campo reserva. Ele perdeu o volante Fernando Miguel, que sofreu fratura no tornozelo direito na última partida e está fora do campeonato, o outro volante, Paulo Miranda, e o meia Alex, suspensos por terceiro cartão amarelo.

Além do lateral-esquerdo Leandro, também suspenso por terceiro cartão. Vanderlei não definiu se escala o time no esquema tático 4-4-2 ou 3-5-2. O mais provável é que ele mude para o 3-5-2, tal é a sua disposição de tornar a equipe mais ofensiva.

Para a vaga de Leandro, Luxemburgo escalou Rondinelli. As vagas do meio-campo de-verão ser ocupadas por Wendell e Jussiê ou Marcelo. Com o possível aproveitamento de Jussiê ou Marcelo na meia, ele tem dúvida entre os dois para escolher um que formará a dupla de ataque com Fábio Júnior. Optando pelo 3-5-2, Marcelo Batatais deve entrar na zaga ao lado de Cris. Se resolver lançar mão do 4-4-2, o técnico deverá entrar com Marcelo ou Jussiê na meia, deixando de lado o zagueiro Marcelo Batatais, ficando ainda a dúvida sobre o companheiro de Fábio Júnior: Marcelo, Jussiê ou Alessandro.