enkontra.com
Fechar busca

De Letra

Abel exalta Flu, mas critica pênalti batido por Rhayner

O técnico Abel Braga comemorou o fato de o Fluminense ter vencido o Volta Redonda por 3 a 1, na noite do último domingo, fora de casa, e ficado mais próximo de garantir sua classificação para as semifinais da Taça Guanabara, mas não deixou de criticar o time por ter deixado Rhayner cobrar – e perder – um pênalti no primeiro tempo, quando o placar ainda apontava empate por 0 a 0.

Contratado junto ao Náutico, o atacante não marca um gol desde janeiro de 2011 e a própria torcida tricolor pediu para o jogador fazer a cobrança e encerrar seu longo jejum, mas os batedores oficiais do time, na ausência de Fred, eram Deco e Thiago Neves, que estavam em campo e deixaram o companheiro realizar a batida.

“Foi um resultado bom, ainda falta alguma coisa para a classificação ficar garantida. No pênalti eu não entendi (o que aconteceu), porque é muito legal todo mundo ficar preocupado em ajudar esse menino (Rhayner), que fez uma grande partida e se doou o jogo todo. Mas o Samuel estava na mesma situação, vinha numa ansiedade grande de fazer gol e hoje (domingo) fez dois. O Rhayner criou muita situação para a gente, o torcedor também quis abraçar a causa e pediu para que ele batesse, mas não pode ser dessa maneira. Poderia ter custado caro, poderia ter custado uma classificação”, afirmou o comandante.

Abel evitou criticar de forma dura o jogador, mas admitiu que não gostou de Deco e Thiago Neves terem sido preteridos enquanto o time ainda não havia aberto o placar em um jogo no qual o Fluminense precisava vencer.

“Ele (Rhayner) vai fazer gol com naturalidade, porque eu não cobro dele gol, quero que ele trabalhe para a equipe em primeiro lugar. O jogador não tem culpa de nada, pediu para bater, deram a bola a ele e ele foi lá e bateu. Mas ele perdeu um pênalti sem ter treinado, e a seriedade tem que estar em primeiro lugar”, completou.

Já ao analisar o desempenho do time do Fluminense como um todo, Abel elogiou a eficiência da equipe, que soube segurar a pressão do Volta Redonda quando vencia por 2 a 1. “A vitória foi justa, No primeiro tempo perdemos muitos gols, mas conseguimos abrir 2 a 0 e tivemos possibilidade de ampliar. No segundo tempo sofremos um gol e depois passamos um sufoco normal, que acontece com todo time (adversário) que está perdendo jogando em casa. Depois conseguimos segurar e tivemos a felicidade de marcar o terceiro”, festejou.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas