O Fluminense entrou no campo do Engenhão diante do time venezuelano do Zamora, na última quarta-feira, pela Libertadores, como amplo favorito e apesar de ter conseguido a vitória, ela veio com mais dificuldade que o esperado, por apenas 1 a 0. Mesmo assim, o técnico Abel Braga demonstrou satisfação com o desempenho de seus comandados e comemorou o placar.

“O adversário não teve praticamente nenhuma chance, corremos dois perigos em erros nossos. Tivemos chances de marcar o segundo, não o fizemos. Existe momentos do jogo em que você falha, erra, mas estou muito feliz com os jogadores pelo jogo e esta vitória é totalmente deles. Eles tiveram paciência e consciência bem elevadas”, declarou. “Queria três pontos e conseguimos. É Libertadores, é sempre complicado”, completou o treinador.

Abel apontou a soberania da equipe, que ficou com a posse de bola em grande parte do confronto e chegou a perder algumas chances. Para ele, a partida só não foi mais fácil por causa do modo defensivo com que o adversário entrou em campo. “Nós jogamos bem, mas enfrentamos um adversário que só se preocupou com a defesa. O que é mais difícil, defender ou atacar? Eles fizeram uma linha de cinco atrás, com uma de cinco à frente, e não mudamos nossa maneira de jogar”, comentou.

Parte dos quase 25 mil torcedores que estiveram no Engenhão, no entanto, discordaram da análise do treinador e vaiaram a equipe em alguns momentos, principalmente quando o placar ainda estava no 0 a 0. Para Abel, este comportamento é natural. “Em time grande o torcedor é soberano, a maioria do tempo houve incentivo, mas quando não há é preciso saber lidar com isso”, disse.

Com a vitória, o Fluminense permanece com 100% de aproveitamento na Libertadores, com nove pontos, na liderança do Grupo 4. Na próxima rodada, a equipe volta a enfrentar o Zamora, desta vez na Venezuela, no próximo dia 29.