Abel Braga foi apresentado oficialmente nesta quarta-feira como novo técnico do Fluminense. Três meses após o acerto verbal com o clube, ele finalmente vai começar o trabalho, depois de acabar seu vínculo com o Al-Jazira, dos Emirados Árabes Unidos. E volta às Laranjeiras com o objetivo de conquistar o bicampeonato brasileiro.

A tarefa, no entanto, não será fácil. O Fluminense não faz boa temporada: foi eliminado precocemente do Campeonato Carioca e da Libertadores, e ainda viu o ex-treinador Muricy Ramalho, que venceu o Brasileirão em 2009, deixar o cargo fazendo duras críticas à estrutura que lhe era fornecida pelo clube.

“Vamos conversar ainda, mas não tem o que reclamar. Fui apresentado no salão nobre e são raros os clubes que têm salão nobre no Brasil. O Fluminense caiu com essa estrutura, voltou com ela e foi campeão com ela”, declarou Abel, tratando de elogiar a estrutura do clube durante a sua apresentação oficial.

O técnico volta ao clube seis anos após sua última passagem, quando conquistou o Campeonato Carioca e foi vice-campeão da Copa do Brasil em 2005. De acordo com ele, se houve mudança na estrutura do clube desde então, foi para melhor.

“Ainda não tenho muito o que falar, acabei de chegar, mas o vestiário, por exemplo, está ótimo, muito melhor do que quando sai daqui. Sei que é complicado ficar sem estrutura, mas não tenho do que reclamar. Vamos conversando com a diretoria, mas sei que temos condição de fazer boa campanha com o que temos aqui”, afirmou Abel.

Abel possui grande ligação com o Fluminense. Além da passagem como treinador, foi lá que iniciou sua carreira de jogador em 1971 – ficou até 1976, conquistando quatro títulos do Campeonato Carioca.

O treinador estava acertado com o Fluminense desde março, mas esperava seu contrato com o Al-Jazira terminar. No último sábado, seu auxiliar Leomir já dirigiu a equipe diante do Cruzeiro, na vitória por 2 a 1. Agora, a reestreia de Abel acontecerá neste domingo, diante do Corinthians, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.