O elenco do Fluminense passou a noite de quinta-feira diante da televisão para conhecer o seu adversário das quartas de final da Copa Libertadores. O paraguaio Olimpia não era o oponente dos sonhos, por sua tradição e estilo copeiro de jogar, mas levou a melhor sobre o argentino Tigre. Assim, a primeira partida será nesta quarta, em São Januário, o que motivou o técnico Abel Braga a tomar uma decisão com antecedência.

“Vou com o time reserva contra o Atlético Paranaense”, adiantou o treinador do Fluminense, em referência à estreia no Campeonato Brasileiro, no próximo dia 26, entre o primeiro e o segundo duelos contra os paraguaios. Mesmo assim, ele está confiante. “Foi assim no ano passado. Naquela ocasião, ganhamos por 1 a 0 do Corinthians e foi legal. Mas eles também estavam com um time reserva. Agora o Atlético virá com os titulares.”

Mas a qualidade do elenco dá tranquilidade ao técnico para tomar tal decisão. “Meu segundo time não tem medo, não. Vamos para cima. Hoje seria com Gum, Berna, Wellington, Monzón, Anderson, Diguinho, Felipe, Fabio, Samuel, Sóbis. A equipe é forte”, avaliou Abel Braga.

O único temor enfrentado por Abel Braga diz respeito quanto à arbitragem na Libertadores. Depois do ocorrido no jogo entre Corinthians e Boca Juniors, quando o árbitro paraguaio errou bastante e prejudicou os corintianos, o treinador do Fluminense voltou a exigir uma postura mais incisiva da CBF quanto as erros contra os clubes brasileiros.

“O jogo do Corinthians repetiu o nosso em Buenos Aires (contra o Boca Juniors, no ano passado), quando fomos garfados”, lembrou Abel Braga. “Esse ano tivemos uma derrota para o Emelec fora de casa, fomos garfados de novo”, relatou.

Enquanto isso, o Tribunal de Justiça Desportiva do Rio publicou a suspensão preventiva de 30 dias do atacante Michael, pelo uso de cocaína. A defesa do atleta tem cinco dias para apresentar seus argumentos. Depois disso, mais dois dias para a promotoria decidir se apresenta denúncia.