Os meias Fernandinho e Caio vieram sob
medida para o esquema do técmico Cuca.

Versátil e veloz. Estas qualidades estão intimamente ligadas ao bom momento do “novo” Paraná Clube, líder do Brasileirão.

Durante todo o período de montagem do grupo – ainda em aberto, pois reforços ainda devem chegar – a comissão técnica analisou o perfil dos atletas oferecidos ao Tricolor. Cuca foi firme em sua decisão de apostar em jogadores rápidos, entendendo que esta é uma premissa básica para o futebol moderno. “É muito difícil encontrar espaço para um jogador lento”, assegura.

Foi pensando desta forma que o treinador indicou o atacante Renaldo, artilheiro nato e que conserva a velocidade, apesar dos 32 anos. O artilheiro fez o primeiro gol do Paraná na competição, em Santos, e no último domingo voltou a balanças a rede adversária, como prometera. “Centroavante precisa de gols e sei que o time ainda pode evoluir ainda mais”, confia.

Cuca também aprovou as contratações de Caio e Fernandinho, destaques da equipe na goleada sobre o Atlético. “Eles me permitiram adotar um esquema muito eficiente, tanto na marcação quanto no ataque”, reconhece o técnico. Os dois meias-ofensivos cumpriram à risca as orientações do treinador, bloqueando os laterais adversários e partindo para a área adversária em tabelas rápidas. “É muito bom contar com jogadores versáteis, que nos permitem variações táticas. Esse será o nosso modelo para a seqüência da competição”, avisou Cuca.

O bom rendimento no clássico pode ser, portanto, um obstáculo para o volante Émerson. Suspenso, ele não atuou diante do Atlético, mas tinha feito uma boa partida contra o Santos. “O time já está pronto na minha cabeça, mas temos uma semana inteira para trabalhar. E uma semana de astral elevado”, destacou o treinador paranista. Há tempos o Paraná não vivia dias tranqüilos como neste início de campeonato brasileiro. A comissão técnica garante que os bons resultados não irão gerar a perda da humildade.

“É muito melhor trabalhar para conter a euforia, mantendo os pés no chão, do que administrar uma crise”, comentou Cuca.

De olho no próximo adversário

O Guarani é o próximo “alvo” do Tricolor. O serviço de espionagem já começou e Cuca centralizou a análise do adversário do próximo domingo – às 16 horas, em Campinas – no jogo de estréia do time paulista, frente ao Vasco. Nesta partida, o Guarani venceu por 4×2, teve um comportamento ofensivo e esta deve ser a postura da equipe de Pepe no próximo fim-de-semana. Na outra partida, o Guarani, em Porto Alegre, perdeu para o Grêmio (3×1).

“Eles jogam num 4-4-2 e têm dois meias muito criativos, um atacante de velocidade e outro de referência na área, com bom cabeceio”, analisou o treinador paranista, fazendo referências aos armadores Marquinhos e Esquerdinha e aos atacantes Vágner e Creedence. O volante Émerson já trabalhou com Cuca na Inter de Limeira.

“É um time difícil de ser batido jogando em seus domínios. Por isso, é preciso muita aplicação durante toda a semana”, afirmou o técnico. “É uma equipe até parecida com a nossa em sua forma de jogar”.

Para Cuca, o jogo é apenas “um espelho” daquilo que se realiza ao longo dos treinos. “Temos feito bons treinamentos e, principalmente, com a perfeita sintonia de todos os atletas. Esta mobilização está se confirmando nos jogos e na conquista de pontos”. O primeiro coletivo da semana será realizado hoje à tarde, na Vila Capanema.