Candidato à reeleição, o prefeito de Curitiba Rafael Greca (DEM) chegou pouco antes das 9 horas da manhã deste domingo (15) para votar no Colégio Estadual Júlia Wanderley, no bairro Batel. Acompanhado da primeira-dama Margarita Sansone e de seu vice, Eduardo Pimentel, Greca criticou os concorrentes antes de ir para a urna.

“A campanha [dos concorrentes] foi do tamanho deles. Foi medida pela sua mediocridade”, afirmou o prefeito em resposta à pergunta da Tribuna antes de votar. O candidato não participou de nenhum debate antes da eleição.

LEIA TAMBÉMGreca lidera pesquisa Ibope na véspera do 1º turno, seguido de Goura e Francischini

Greca tem 56% das intenções de voto, de acordo com a última pesquisa divulgada sábado (14), pelo Ibope. A pesquisa foi encomendada pela RPC TV e ouviu 805 eleitores entre quinta-feira (12) e sexta-feira (13). Goura (PDT), teve 11% das intenções de voto e Fernando Francischini (PSL) somou 8% da preferência dos eleitores.

O candidato do DEM disse que está muito feliz com a qualidade da campanha que fez. “Nós fizemos uma campanha propositiva, baseada em propostas de futuro para Curitiba. Quero agradecer a todas as famílias que abriram suas janelas e portas e participaram à distância das nossas carreatas, dos nossos atos de campanha, recebendo o Eduardo, a Margarita e a mim, um grande carinho”, comentou o candidato em frente ao colégio, minutos antes de votar.

Expectativa da vitória

Ao ser perguntado se a vitória viria logo no primeiro turno, Greca disse que vai esperar o resultado com humildade. “Vou esperar com humildade e carinho que a população me contemple com a vitória. Agora, se vier segundo turno, vou conduzir as propostas e também afirmar a construção da vitória”, finalizou.

VEJA MAIS – Checklist do eleitor! Você está com tudo em dia pra votar no dia 15?

Após votar, Greca posou para fotos ao lado de Eduardo Pimentel, seu vice, e da primeira-dama Margarita Sansone. O candidato se recusou a fazer fotos fazendo o sinal de V de vitória com os dedos, alegando que o pleito não estava vencido. Preferiu mostrar o número 25 com os dedos, seu número nas urnas.