Motivos não faltam para visitar a cidade histórica da Lapa, localizada a 70 quilômetros de Curitiba. Sua arquitetura preservada e os museus que resgatam parte da Revolução Federalista de 1894 são muito atraentes, porém, há uma novidade em meio a tanta história que tem chamado a atenção. Depois de muitos anos de insistência, finalmente a Lapa conseguiu viabilizar um Centro de Memória Ferroviária que, em menos de cinco meses de inauguração, já se transformou no xodó da comunidade.

“O centro é destinado a abrigar material visual, documentos e referências históricas sobre as ferrovias da Rede Viação Paraná – Santa Catarina, principalmente da região da cidade. Não era para ser um museu, mas os lapeanos gostaram tanto que estão doando verdadeiras relíquias da antiga estação que se instalou aqui em 1891. Uma família doou um relógio de pelo menos 80 anos, outra apareceu com um antigo cofre usado na Rede e teve filho de ex-funcionário que trouxe uma carteirinha de trabalho do pai em perfeito estado. Acaba que o centro vai se transformando pelo próprio desejo dos cidadãos”, explica Márcio Assad, diretor de Turismo da Lapa e idealizador da proposta.

O Centro de Memória fica localizado onde era a antiga estação (Rua da Saudade, 49). Foi inaugurado em 22 de setembro de 2017. Além de ser um ponto de visitação, funciona como um espaço para aprendizagem. “Temos aqui o projeto Aprendiz Ferroviário, onde falamos de ferrovias e da importância da ecologia para o futuro”, conta Assad. De acordo com ele, desde setembro, cerca de 5 mil alunos das escolas municipais já tiveram aulas por lá.

“É uma parceria com as secretarias de Educação e de Meio Ambiente para motivar os estudantes a conhecer a história local. Em paralelo, usamos o espaço para tratar questões sobre meio ambiente, principalmente a separação correta do lixo”, explica.

Para a economia da Lapa, o movimento gerado pelo Centro de Memória Ferroviária tem sido interessante. Segundo a prefeitura, já é percebida uma movimentação de excursões de escolas da Região Metropolitana de Curitiba e dos Campos Gerais que costumavam aparecer com seus estudantes para passeios na cidade, mas que há alguns anos não retornavam. “As pessoas se sentem atraídas quando o município promove o surgimento de novidades. É o que está acontecendo agora”, informaram.

Maria Fumaça na Lapa

Segundo Márcio Assad, há um projeto na Lapa que deve trazer a locomotiva 11 para as festividades de aniversário do município no ano que vem. A locomotiva é uma maria-fumaça que pertence à Associação Brasileira de Preservação Ferroviária. “É uma locomotiva de 1884. Ela esta sendo recuperada em Rio Negrinho e o prazo para chegar ao Paraná é mais ou menos em abril do ano que vem. Temos o plano de contar com ela para a festa da Lapa em junho de 2019”, revela Assad. “Não estamos dizendo que teremos viagem de maria-fumaça para outras cidades, mas teremos momentos especiais em que os turistas poderão participar de passeios breves. Queremos que cada vez mais pessoas conheçam nossa memória”, diz.

Vale lembrar que no último Natal, a Maria Fumaça Mallet 204, aquela toda iluminada que passou por Curitiba e região, também fez uma parada no Centro de Memória Ferroviária da Lapa. “Todos que viram adoraram. Estamos no caminho certo”, finaliza o diretor.

Como chegar

O trajeto mais próximo entre Curitiba e Lapa é pela BR-476 (Rodovia do Xisto). Há uma praça de pedágio alguns quilômetros antes do trevo da cidade.

O Centro de Memória Ferroviária da Lapa fica aberto todos os dias, das 9h às 17h. Mais informações pelo telefone (41) 3622-2036 ou no receptivo turístico.