enkontra.com
Fechar busca

Publicidade

Vila Izabel

Aula de tensão

Foto: Felipe Rosa
Giselle Ulbrich
Escrito por Giselle Ulbrich

De todas as tarefas que os alunos do Centro de Educação Infantil (CEI) Madre Carmela de Jesus têm para fazer, atravessar a rua para entrar ou sair da escola tem sido a mais difícil. Pais reclamam que os motoristas descem a Rua Estado de Israel, na Vila Izabel, em alta velocidade e não respeitam a faixa de pedestres em frente ao portão da escola. Sem contar que, no horário de entrada e saída, os pais precisam parar os carros em ambos os lados da rua e a passagem fica “apertada”.

Raquel Paiva, 30 anos, que tem duas crianças matriculadas na escola, explica que a Rua Estado de Israel vem desde o cruzamento com as Avenidas Sete de Setembro, Visconde de Guarapuava e Iguaçu. Muitos motoristas utilizam a Estado de Israel para não precisarem ir até a Avenida Presidente Arthur Bernardes, onde o trânsito é mais pesado, e cortarem caminho, já que a pequena via dá acesso ao bairro Portão.

Raquel diz que situação é crítica na hora da saída

Raquel diz que situação é crítica na hora da saída

Mas os motoristas já vêm embalados e, quando chegam na descida em frente à escola, muitos nem conseguem frear a tempo na faixa de pedestres, mesmo havendo placas indicativas de escola e velocidade de 30 quilômetros por hora. Esta situação é crítica entre 16h20 (quando parte dos alunos começam a ser liberados) e 17h. “É tenso”, diz Raquel. Depois disso, o trânsito engarrafa e a velocidade diminui um pouco.

Além do inconveniente da velocidade dos carros, há o problema de onde estacionar para pegar as crianças. Os pais acabam estacionando em ambos os lados da via, o que deixa a passagem ao meio apertada e veículos maiores têm dificuldade em passar. As raspadas de espelhos tornam-se comuns e ocorrem até batidas leves de traseira de veículos, aquelas em que geralmente os motoristas se acertam no local e não registram a ocorrência. “Não tem onde parar”, relata Raquel.

Desrespeito

Priscila reclama da alta velocidade dos carros

Priscila reclama da alta velocidade dos carros

Há pais que também não dão o exemplo. Estacionam em cima da faixa de pedestres para pegarem as crianças. “A escola ensina questões de trânsito para as crianças. Mas os próprios pais param em cima da faixa. Então que moral eles têm para cobrar respeito no trânsito e ensinar algo aos filhos?”, lamenta a empresária Priscila Favreto, 33 anos, que reclama também da alta velocidade com que os carros descem a Rua Estado de Israel.

Uma freira, que estava no portão da escola, explicou que já pediram providências à Setran, como a colocação de uma travessia elevada de pedestres e um recuo para as vans escolares, pelo menos. “Mas a resposta que recebemos da Setran foi de que a situação é igual em todas as escolas. O máximo que eles fizeram foi vir aqui e colocar estas placas”, comenta a freira, referindo-se às placas de “embarque e desembarque de escolares, escola e velocidade controlada”. A colocação das placas, diz ela, não resolveu em nada o problema da velocidade e da falta de espaço adequado para estacionar.

Na frente do guarda

Foto: Felipe Rosa

Foto: Felipe Rosa

No dia em que a Tribuna esteve em frente à escola, havia uma viatura da Guarda Municipal no local. Mas, segundo o supervisor Bridarolli, era apenas para fazer a segurança, como fazem rotativamente em várias escolas. Por decisão administrativa da prefeitura, eles não podem fazer autuações de trânsito, trabalho que é destinado somente à Secretaria Municipal de Trânsito (Setran).

Os motoristas parecem não ter se intimidado com a presença dos guardas e da viatura com o giroflex ligado. Muitos desciam a rua em velocidade e não paravam antes da faixa de pedestres para dar a vez aos pais com crianças. Além de pararem em cima da faixa de pedestres, bem na frente da viatura da Guarda.

O que diz a Setran

Foto: Felipe Rosa

Muitos motoristas não se intimidaram com a presença dos Guardas Municipais. Foto: Felipe Rosa

Em nota enviada à Tribuna, a Setran informou que a sinalização no local foi reforçada recentemente, com implantação de sentido único na via e faixa amarela na quadra do CEI, que permite embarque e desembarque nos horários de entradas e saídas. “Não é possível a implantação de lombada ou travessia elevada porque a via no local tem declive acentuado (legislação de trânsito não permite a colocação nessas condições). Os remansos também não são possíveis por haver muitas árvores nas calçadas e não haveria espaço para a passagem dos pedestres, caso houvesse a colocação dos mesmos. A fiscalização da Setran deverá fazer operações programadas para coibir o desrespeito à faixa de segurança no local”, detalha o comunicado.

Leia  mais sobre Vila Izabel

Sobre o autor

Giselle Ulbrich

Giselle Ulbrich

Deixe um comentário

avatar

9 Comentários em "Aula de tensão"


Jonathas Ribeiro de Almeida
Jonathas Ribeiro de Almeida
2 anos 11 meses atrás

Parabéns pela reportagem. Nossas crianças merecem respeito, e precisam ser vistas pelo poder público.

Danilo Durski
Danilo Durski
2 anos 11 meses atrás

Motorista curitibano nem sinal dá pra mudar de faixa. Pedir pra parar na faixa de segurança é demais para esse povo…

fernando rocha
fernando rocha
2 anos 10 meses atrás

Por isso que tem muitos motoristas mal-educados e meia roda nas ruas da cidade.

DELSON
DELSON
2 anos 11 meses atrás

Na Escola Ricardo Kruguer (Municipal) e Colegio João Paulo (Estadual) no bairro Boa Vista também e a mesma coisa, motoristas não respeitam, alguns deixam seus filhos e saem em alta velocidade. Lá não tem nem guardas municipais, Ciretran, nada, e uma bagunça geral.

fernando rocha
fernando rocha
2 anos 11 meses atrás

Esse é o problema muito comum em frente as escolas inclusive particulares, pais estacionando em fila dupla para pegar os filhos. Esse tipo de atitude atrapalha o transito causando congestionamentos,. No caso da escola na Vila Izabel, os motoristas aproveitadores descem a rua em alta velocidade e param em cima da faixa de pedestres em frente a escola. Essa rua Estado de Israel é usada pelos motoristas para escaparem dos congestionamentos da Av. Presidente Arthur Bernardes. Já aconteceram atropelamentos frente a escola

Pedro
Pedro
2 anos 11 meses atrás

Conheço o local, e a reportagem foi bem feita. Pois é isso mesmo, muito motorista mal educado e apressadinho, falta a travessia elevada e falta vergonha na cara dos motoristas que cortam caminho por ali.

Sidnei
2 anos 11 meses atrás

Inserir uma “passagem suspensa” nesse local já melhoraria bastante já que não se pode confiar nos nossos ilustres motoristas cujas CNH foram adquiridas de forma duvidosa e estes batem em postes e tudo mais.

pedro
pedro
2 anos 11 meses atrás

Pois é o gm no local possivelmente com interesse em ajudar a população de bem e seus filhos, mas por decisões politicas e interesses em valores $$ não dão autoridade para a GMC orientar e infelizmente autuar os mais apressadinhos, mesmo estando na CF revisada as atribuições para GMS em todo Brasil.

cid
cid
2 anos 11 meses atrás

Por favor não chamem estas “pessoas” de motoristas é uma ofensa ao verdadeiros.São aloprados,sem base familiar e retardados, devem ir para a India ou Paquistão e com certeza lá morrerão.

wpDiscuz
(41) 9683-9504