enkontra.com
Fechar busca

Publicidade

Curitiba

Pai da Vila Verde

Foto: Cesar Brustolin/SMCS
Maria Luiza Piccoli

Se depender do nome, o recém-inaugurado Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) João Botelho, na CIC, ainda vai ajudar muita gente. Com capacidade para atender 200 crianças de 0 a 5 anos, a escola começou a funcionar essa semana com a garantia de suprir a demanda total por berçários na região da Vila Verde, segundo a Prefeitura de Curitiba. Batizada em homenagem a uma importante personalidade do bairro, a escolinha faz parte da lista de novos CMEIS da Prefeitura que inclui duas unidades recém-construídas e outras dez, já antigas, que voltam a funcionar depois de muito tempo desativadas.

Mas afinal, quem foi João Botelho? Para saber melhor quem foi o homem por trás do nome que batiza o centro educacional, a Tribuna bateu um papo com Nilson Alves Botelho: filho e admirador daquele que ficou conhecido como “pai da Vila Verde”.

“Simplão” e coração grande. Assim pode ser definido o pedreiro e pai de 7 filhos, que marcou para sempre a história do bairro. Na década de 90, quem desse de cara com ele no corre-corre para ajudar os vizinhos, jamais imaginaria que João, um dia, teria o nome eternizado numa instituição. “Ele fugia da fama e de qualquer coisa parecida com política. As pessoas perguntavam porque ele se esforçava tanto pra ajudar todo mundo, sendo que ele mesmo não tinha recursos”, lembra Nilson.

Conhecido pelo forte engajamento social e preocupação em contribuir com a comunidade local, João fez parte da primeira associação de moradores da região, onde trabalhou por muitos anos voluntariamente. “Não importava quem chegasse pedindo ajuda. Ele dava um jeito de contribuir com o que fosse, nem que tivesse que tirar do nosso próprio bolso”, revela o filho. “Uma vez veio um rapaz pedindo dinheiro pra a passagem de ônibus, só que meu pai não tinha nenhum tostão furado. Ele entrou em casa com a desculpa de que precisava levar um currículo no Centro e foi pedindo pra cada filho que ajudasse com uma moedinha. Assim ele conseguiu juntar o dinheiro pra ajudar o rapaz e só ficamos sabendo disso depois”, revela Nilson.

Preocupado em buscar melhorias para a vizinhança, João foi um dos fundadores do Grêmio Esportivo Beneficente Vila Verde e da Associação dos Idosos Vila Verde. A morte veio de surpresa, em 2002, com uma parada cardíaca que levou o prematuramente o pai da Vila Verde, aos 62 anos de idade que, além dos 13 netos, deixou um legado de solidariedade entre os moradores do bairro. Reconhecimento comprovado agora, com a inauguração do novo CMEI.

“As pessoas vieram me cumprimentar pelas redes sociais dizendo que não poderiam ter escolhido nome melhor para o centro educacional”, disse. Entre os familiares que estiveram presentes na abertura da escola, mas preferiram não aparecer muito na frente dos holofotes, uma só palavra define o sentimento em relação à homenagem ao patriarca: orgulho. “Esse reconhecimento é uma honra. Certamente meu pai ficaria emocionado ao saber que seu nome ficou atrelado à educação e amor ao próximo”, finaliza Nilson.

Estrutura

Com um investimento de mais de R$ 2 milhões, o CMEI João Botelho foi construído na rua Antônia Mollina Bella, 370. O espaço conta com banheiros adequados às faixas etárias, pátio coberto com refeitório e área externa com grama e caixa de areia. No setor administrativo da escola, o “espaço Mama Nenê” foi pensado como forma de incentivo à amamentação. O CMEI tem capacidade para atender 4 turmas de berçário, 2 de maternais e duas turmas de pré-escola.

Cheiro de novo

Foto:Cesar Brustolin/SMCS

Foto:Cesar Brustolin/SMCS

Construído para atender 200 crianças, de 0 a 5 anos, o CMEI João Botelho recebeu um investimento de mais de R$ 2 milhões e foi erguido na Rua Antônia Mollina Bella, 370, na Vila Verde. O espaço conta com banheiros adequados a cada faixa etária, pátio coberto com refeitório e área externa com grama e caixa de areia para as crianças brincarem. A unidade tem capacidade para atender 4 turmas de berçários, 2 maternais e duas de pré-escola.

No setor administrativo da escola, o “espaço Mama Nenê” foi pensado como forma de incentivo à amamentação. O CMEI tem capacidade para atender 4 turmas de berçário, 2 maternais e duas turmas de pré-escola.

O prefeito Rafael Greca, a governadora Cida Borghetti e a secretária Municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, participaram do evento de inauguração do espaço nesta semana. Aos moradores da área e aos familiares de João Botelho, que se reuniram para prestigiar a inauguração, Greca destacou a trajetória de vida de um dos fundadores da Vila Verde, que dedicou a vida às causas sociais. “Que a memória deste grande homem viva multiplicada nos nossos curitibinhas que saindo do peito da mãe começam a entrar no processo de educação, no CMEI. Serão todos eles protegidos, acarinhados pela cidade, serão todos eles preparados para vencerem na vida”, disse.

Novos CMEIs

Em maio, moradores da Vila Audi União receberam o CMEI Corina Ferreira Ferraz, no Uberaba. Além dos dois novos CMEIs construídos por esta gestão, em março deste ano, começaram a funcionar dez CMEIs que haviam sido inauguradas pela gestão anterior, nas regionais Bairro Novo, Tatuquara, CIC, Portão e Santa Felicidade, mas não podiam entrar em funcionamento porque estavam sem equipamentos e servidores designados para o trabalho.

Na regional CIC, foram iniciadas as atividades dos CMEIs Maria do Rocio Ramina Maestrelli e Dona Francisca Wisek, no Caiuá. Além de remanejar servidores, o enxoval destas unidades, com móveis, eletroeletrônicos, cobertores, colchonetes e material pedagógico foi comprado, possibilitando a reabertura do espaço.

O atendimento nesta unidade será gradativo, iniciando com turmas de berçário, até que as demais crianças sejam matriculadas. As famílias estão em processo de visita para confirmação das matrículas.

A diretora do CMEI, Rosangela Baranoski, comemorou o fato de que a abertura do novo CMEI ter garantido o atendimento total da demanda de crianças de berçário que aguardavam por vaga na região. “Pudemos contemplar todas as famílias que fizeram a solicitação da vaga para os bebês”, disse Rosangela.

O vice-prefeito e secretário municipal de Obras, Eduardo Pimentel contou aos presentes sobre o andamento de outros quatro CMEIs que estão em obras em bairros das regionais Portão, Boa Vista, Cajuru e Pinheirinho. “Recebemos a determinação do prefeito Rafael Greca para que retomássemos as obras que haviam sido interrompidas pela gestão anterior e déssemos agilidade para atendermos com rapidez às famílias”, disse Pimentel.

Medo na aula

Sobre o autor

Maria Luiza Piccoli

Maria Luiza Piccoli

Deixe um comentário

avatar

4 Comentários em "Pai da Vila Verde"


Carlos Gomes
Carlos Gomes
5 meses 7 dias atrás

Parte da matéria é piada né? “…com a garantia de suprir a demanda total por berçários na região da Vila …” , quero ver é algum prefeito conseguir tal feito com a alta taxa de natalidade nessas regiões mais precárias (é menina a partir de 11/12 anos já grávida).

emerson benkendorf
emerson benkendorf
5 meses 7 dias atrás

Apesar de usarem o nome do seu João na matéria (está de parabéns pq fez o que nenhum político tem a capacidade de fazer), a matéria é totalmente propaganda política política.

Paulo Cesar
Paulo Cesar
5 meses 8 dias atrás

Homenagem justa para um pessoa que dedicou sua vida à ajudar o próximo, fez mais que muitos prefeitos desta cidade. Parabéns ao familiares e do Pai da Vila Verde e sirva de exemplo para todos e também aos políticos desta foto.

Wade Wilson
Wade Wilson
5 meses 8 dias atrás

Agora, Greca, pague as progressões e os planos de carreira dos professores!

Prefeitinho marketeiro…

wpDiscuz
(41) 9683-9504