enkontra.com
Fechar busca

Publicidade

Centro

Ombro amigo

Foto: Felipe Rosa.
Maria Luiza Piccoli

“Concedei-nos Senhor a serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar. Coragem para modificar aquelas que podemos e sabedoria para distinguir uma das outras”.  Lema do grupo “Amigos Solidários na Dor do Luto”, a Oração da Serenidade ilustra o banner repleto de fotografias pendurado na parede da sala de reuniões. As imagens dos filhos, esposas, maridos e entes queridos que se foram, deixam claras a lembrança e a saudade dos participantes do grupo. Com cerca de 30 membros, as reuniões acontecem há 16 anos e recebem familiares em luto. Nos encontros que acontecem semanalmente no prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR) – no Centro de Curitiba – os participantes encontram espaço e liberdade para falar sobre a dor da perda.

Janice de Fátima, cuja filha foi executada dentro de casa – no bairro Xaxim – no início do ano, começou a frequentar as reuniões há nove meses. “Aqui todo mundo entende o que o outro sente. São ombros amigos nos quais podemos nos apoiar e chorar sem censura”, afirma. Dirigidas por voluntários em parceria com o departamento de psicologia da universidade, as reuniões oferecem conforto aos participantes por meio da troca de experiências e ministração de mensagens de positividade e superação.

Foto: Felipe Rosa.

Foto: Felipe Rosa.

Para Nylcea de Oliveira, 80, o resultado dos encontros é percebido pelo alívio emocional e pelas amizades decorrentes da frequência às reuniões. “No pior momento do luto muitos amigos se afastaram de mim porque já não suportavam me ouvir falando disso. Aqui eu encontrei pessoas que sentiam a mesma dor. Que estavam passando pela mesma coisa, e que se dispuseram a me ouvir e chorar comigo. Foi isso que me ajudou a melhorar”, conta. Nylcea perdeu os dois filhos e o marido, entre 2000 e 2016.

Para celebrar a memória dos falecidos, cerca de 40 pessoas se reuniram em uma ação especial, organizada nesta segunda-feira (11), em frente à Universidade Federal do Paraná. Munidos de balões de gás brancos, participantes do grupo encheram o céu da Praça Santos Andrade com mensagens de esperança. Dentro das bexigas, bilhetes e sementes de girassol. “Onde caírem, esses balões deixarão um recado especial para quem tiver a sorte de pegar. Já as sementes irão germinar, trazendo beleza e paz ao ambiente onde crescerem”, afirma Zelinda de Bona, uma das diretoras do grupo. A ideia da ação é lembrar que a superação é fruto do apoio mútuo, e que as lágrimas do luto, não precisam necessariamente estarem associadas à tristeza.

Edna Batistella, 64, participou do evento esta tarde e frequenta o grupo desde que perdeu o filho, de 25, há alguns anos. O rapaz teve um ataque cardíaco fulminante e faleceu inesperadamente. “Aqui eu aprendi que é normal sofrer. Que a morte não pode ser modificada, mas o pensamento em relação à perda, sim. É essa mensagem que queremos passar”, diz.

Foto: Felipe Rosa.

Foto: Felipe Rosa.

SERVIÇO

Grupo Amigos Solidários na Dor do Luto

Reuniões às segundas-feiras das 14h30 às 17h

Onde: prédio histórico da UFPR – 1° andar – sala 118

Endereço: Praça Santos Andrade, 50 – Centro

Coordenadora: Zelinda de Bona

Telefone: (41) 3252-5016 ou (41) 9910-0879

Sobre o autor

Maria Luiza Piccoli

Maria Luiza Piccoli

Deixe um comentário

avatar

1 Comentário em "Ombro amigo"


Adriano
Adriano
1 ano 3 meses atrás

Excelente reportagem, de utilidade pública, muitas pessoas entram em verdadeiro colapso emocional depois de perderem entes queridos e muitas vezes caem num vazio negro do qual jamais saem ou levam anos para conseguirem retomar a vida normal. Com certeza esse grupo aí tem gente mais do que preparada para lidar com os casos mais complicados de pessoas terrivelmente abatidas com a morte de alguém da família.

wpDiscuz
(41) 9683-9504