Publicidade

Augusta

“Vizinho” indesejado

Paula Weidlich
Escrito por Paula Weidlich

O mato alto que ultrapassa os limites de um terreno localizado na esquina da Rua Maria Luiza Rossa com a Rua Santo Antônio da Platina tem gerado muito incômodo pros moradores do Augusta. Vizinha do matagal, a dona de casa Vera Neubauer, 47 anos, conta que são muitos os transtornos pra quem convive com essa situação. “Esse matagal traz muito incômodo e insegurança pros moradores. De lá vem cobras, aranhas, lagartos, insetos e outros bichos. Além disso, o lugar virou ponto de uso de drogas e abrigo pra assaltantes. Andar à noite por ali, a pé ou de carro, é perigoso, pelo risco de ser roubada ou sofrer um acidente pela falta de visibilidade da rua”, desabafa.

Foto: Átila Alberti.
Moradores do Augusta reclamam de matagal que virou lixão e abrigo de bandidos. Foto: Átila Alberti.

A técnica em enfermagem Carla Escher, 29, também moradora da região, diz que muita gente usa o local pra descartar de maneira inadequada lixo e restos de materiais de construção. “As pessoas vêm até aqui e simplesmente jogam o lixo. Não costumo andar por aqui à noite, mas sei que tem gente quem vem pro matagal pra fumar maconha”. Ela conta que diversas vezes viu carros da prefeitura passando pelo local e avaliando o terreno, mas mesmo assim, há anos nada é feito e o mato segue crescendo.

Notificações

A Administração Regional da CIC informa que o terreno em questão é de propriedade particular e que já recebeu duas notificações, uma em 2014 e outra em 31 de julho deste ano. Atualmente, o terreno está com o prazo de limpeza vencido e uma revistoria, que já esta agendada, deve ser feita pela Secretaria Municipal de Urbanismo nos próximos dias. Segundo a prefeitura, caso o terreno não esteja limpo no dia da vistoria, o proprietário será autuado em conformidade com a lei municipal 11.095/04.

Leia mais sobre Augusta.

Sobre o autor

Paula Weidlich

Paula Weidlich

(41) 9683-9504