Pois é meus amigos… Drake, o rapper mais ouvido no mundo na atualidade, veio ao Brasil para uma apresentação no Rock in Rio. Muito aguardado não só por aqueles que tiveram a oportunidade de estar ao vivo no evento, mas também por todos os fãs que esperavam a transmissão do show pela televisão.

Acontece que uma das muitas decepções que Drake deu aos fãs brasileiros foi ter proibido a transmissão de seu show. E o aviso de que se a TV transmitisse ele saíria do palco, foi dado poucos minutos antes dele se apresentar. Fora isso, o rapper já havia feito estrelismo quando cobrou 1 milhão a mais no cachê que havia sido acordado (e já estava anunciado como atração), proibiu que a tirolesa, que é uma atividade que as pessoas podem fazer durante os shows, funcionasse, usou playback e ainda por cima veio ao Twitter dar uma desculpa esfarrapada de que não permitiu a transmissão do show pois estava chovendo, culpando, acredite se quiser, a mãe natureza por seu “piti” de artista.

Aí alguns podem dizer: “ué, ele ta no direito dele… se ele quer ser assim, ele pode.. parem de mimimi

Então meus amigos.. eu concordo que muita coisa hoje em dia é mimimi, mas não nesse caso em específico. Drake se mostrou um verdadeiro Playboy com ataques de estrelismo, pois em seu país usa da hipocrisia para dizer que “é do gueto”. Não acredita? Eu provo para vocês.

Quer saber como morar no Canadá? Se inscreva no meu canal!

Outro estrelismo que o rapper deu aqui no Brasil foi não ter aceito nenhuma comida brasileira. Para vocês terem ideia, no próprio restaurante do hotel em que ele ficou, ele exigiu que o seu chef particular entrasse na cozinha e fritasse batatas trazidas por ele na viagem. Ou seja, uma declaração aberta de que não colocaria nada feito por brasileiros na boca.

Mas que coisa né, meu caro Drake, no Canadá, seu país, você faz questão de até hoje buscar pessoalmente comida em um local onde você frequentava quando era adolescente e não era famoso. Um local onde eu sei que a higiene não é lá essas coisas de país desenvolvido e que o sabor da comida passa muito longe do da comida brasileira. Como eu sei disso? Porque eu morei ao lado desse local e presenciei suas idas para buscar comida. Durante os 6 meses que eu morei nesse endereço, você foi 3 vezes.

Eu morava no predinho a esquerda da foto e o Drake vinha no “Churrasco of St. Clair” buscar frango, batatas e arroz

Ta.. mas e a higiene?” Então… veja como é a vida… eu trabalhei neste estabelecimento por um mês e posso mostrar para vocês o interior. Claro que o Drake, antes de buscar comida, manda um assessor ligar e diz que está indo.. aí param duas camionetes na frente do estabelecimento.. 4 seguranças saem.. e ele entra no local para buscar e pagar por sua comida. Mas faz questão de ir pessoalmente, né? Para mostrar que é humilde.. para mostrar que lembra das raízes.. para dizer que ainda come o que o “povo” come…

Aqui que a sua comida é feita, Drake | Foto: Arquivo pessoal Matt Gazzola

E aí ele vem no nosso país e se nega a experimentar a comida? Traz o próprio chef e manda preparar batatas trazidas por ele? Isso quer dizer que no Canadá ele quer pagar de humilde pro povo… mas vindo aqui só prova um ponto: baita de um Playboy.

Eu preparando o “melhor frango da cidade”