Sente-se cansado ao fazer exercícios? Os resultados não são aqueles que esperava? Boa parte dos praticantes reconhece a necessidade da alimentação balanceada, da disciplina com os treinos e da formação de hábitos saudáveis para um bom rendimento. Mas o sono? Sabia que ele pode ser um dos principais vilões? Uma noite mal dormida traz diversas implicações, que vão além da fadiga, da sonolência e do mau humor no dia seguinte.

O sono adequado é fundamental para muitas funções biológicas. Através dele há liberação de hormônios que participam de processos metabólicos importantes no desenvolvimento corporal e no emagrecimento. Neste período verifica-se uma alta atividade anabólica, ou seja, a recuperação e o crescimento muscular ocorrem de modo mais proeminente.

A privação de sono, por sua vez, reduz diretamente o desempenho físico e compromete as adaptações fisiológicas ao exercício, além de atuar negativamente no mecanismo que gera a sensação de saciedade, provocar quadros de baixa imunidade e alterar uma série de respostas do corpo (pressão arterial, produção de cortisol e insulina). Vários estudos atrelam a abstinência do sono em indivíduos ao maior índice de massa corporal (IMC) e obesidade.

Cada pessoa tem uma demanda própria de sono. Sua relação com a atividade física depende de alguns fatores, como a idade e o condicionamento físico do praticante, e a intensidade e a duração dos estímulos. Conforme o nível do treinamento, dormir pouco pode impulsionar casos de overtraining.

Algumas dicas pra uma boa noite de sono: evite atividades na hora de deitar (televisão, celular, etc.), deixe o ambiente com a temperatura agradável, escuro e silencioso, procure manter os mesmos horários para adormecer e acordar, e não ingira cafeína nas horas que antecedem o sono.

Contato: jrbarao@gmail.com.