“Um seriado sobre mulheres que se recusam a envelhecer”, assim Aguinaldo Silva definiu Cinquentinha, ao apresentar o elenco e a trama da série ao lado da também autora Maria Elisa Berredo, do diretor de núcleo Wolf Maya e do diretor Cláudio Boeckel, no Rio de Janeiro. Nas palavras de Maya, o programa é “uma comédia pop, picante e sofisticada. Teremos cenas curtas, mulheres modernas, a juventude atual e muito rock’n roll na trilha sonora. Tudo junto”, definiu o diretor, dando o tom da atração.

O título refere-se à porcentagem (50%) que cada viúva da história quer ter sobre a herança do protagonista Daniel (José Wilker). “Será como um jogo mesmo, uma competição, uma gincana. O seriado é um programa ágil”, complementou Wolf. Como ponto de partida, há um multimilionário à beira da morte – Daniel. Ele deixa em testamento uma espécie de missão impossível para suas três ex-mulheres: inimigas, terão que se juntar para administrar seus negócios em crise e fazê-los prosperar de novo.

As três mulheres são Lara (Susana Vieira), Rejane (Marília Pêra) e Mariana (Marília Gabriela). “Mulheres cuja idade passou dos 50 e chegou não se sabe onde, pois elas não dizem quantos anos têm nem mortas!”, disse Aguinaldo. No prazo de um ano, a que se sair melhor nas tarefas pré-estabelecidas ficará com 50% de sua herança -”cinquentinha” de um grande patrimônio. A outra metade será dividida entre os três filhos que o empresário teve com elas.

O juiz desta gincana é Joaquim (Luis Melo), grande amigo de Daniel e também seu advogado e testamenteiro. Neste jogo, estas “cinquentinhas” terão que provar que não são só fisicamente capazes, mas mentalmente também. E estarem preparadas para muitas surpresas. Como o surgimento de mais uma adversária, Leonor Barganti (atriz a definir), que só vai se revelar e reivindicar seus direitos na hora certa. Com ela, seu filho Carlo, um quarto herdeiro do empresário também entra em cena.
Da Redação

Filhos e mães infantilizados

Aos 66 anos, Susana Veira, uma das protagonistas do seriado (que terá oito episódios e vai ao ar às sextas, depois do Globo repórter), diz que não tem problemas com a idade, ao contrário de sua nova personagem. “Não tenho tempo para isso. Tenho uma vida sexual ativa”, dispara a atriz, que há seis meses namora o ator Sandro Pedroso. E acrescenta: “Um dia fui filha, já fiz a mãe, farei a avó e a bisavó, se Deus quiser. Uma velha bem assanhada”.

A trama da série dá também um importante espaço para o conflito de gerações. Os filhos dessas fortes mulheres se infantilizam e elas acabam por anulá-los; já os netos irão contestá-las. Neste clima de rebeldia, Aguinaldo Silva aborda as diferenças comportamentais do ser humano. Ele diz chamar atenção para o fato de que é preciso ser atuante e não parar no tempo nunca. “O ser humano não tem prazo de validade”, pontuou, finalizando: “É um seriado sobre mulheres que se recusam a envelhecer, que continuam sendo ativas. Isso envolve não só tratamento de beleza, mas também uma atitude positiva diante da vida. É um seriado sobre este tipo de mulher e sobre a família que está por trás dela. Sobre pessoas que têm uma atitude moderna e revolucionária em relação à vida: as pioneiras de uma atitude que, em breve, poderemos reconhecer em cada esquina. Aborda várias gerações”.
Da Redação

Poderosa

A cantora Britney Spears reapareceu em público, há alguns dias, à beira da piscina do hotel Ritz Carlton, em Los Angeles, com um insinuante biquíni branco, sapatos de salto vermelhos e um colar de pedras preciosas, para a gravaç,ão de um vídeo promocional para a MTV.

Ela sabia que as lentes dos paparazzi apontavam para cada centímetro de seu corpo, mas ainda assim a cantora, de 28 anos, desfilou segura e poderosa. Razões para isso não faltavam: graças a uma dieta rica em proteínas ensinada pela cantora Victoria Beckham, além de cinco horas de malhação por semana, não havia qualquer ondulação ali. Daquela vez, a “espionagem” seria até muito bem-vinda, afinal, as fotos dos bastidores provariam que não haverá qualquer retoque nas imagens de seu corpo escultural, que deverão ser veiculadas até o final do ano. Nesse episódio, os paparazzi acabaram se tornando seus aliados.

Quem diria, o mesmo grupo de profissionais que entre 2006 e 2007 registraram cada momento de loucura de um dos maiores nomes da música pop: o período em que circulava gorda, careca, quase sempre bêbada. Foram eles que registraram também o choro pela perda da guarda dos filhos, Sean Preston, de 4 anos, e Jayden James, com 3, para o pai deles, o rapper Kevin Federline; as passagens por clínicas psiquiátricas e de desintoxicação. Essas imagens formavam uma fotonovela que rumava para um desfecho trágico

Mas no ano em que completou 10 anos de carreira, Britney -conforme conta a revista IstoÉ gente – quis mudar o rumo da história. Lutou e – belíssima – agarrou de volta o título de Princesinha do pop. Recentemente, o ranking da Billboard anunciou que seu single Womanizer vendeu 2.777.614 cópias no mundo inteiro e seu nome também foi anunciado em sete categorias no Vídeo music awards, da MTV americana, uma das premiações mais renomadas no mundo. E Britney está no páreo da estatueta mais cobiçada: o melhor clipe por Womanizer. Além do corpo em cima, Britney tem exibido novamente suas madeixas loiras e bem tratadas. Quem conhece Britney sabe que essa cor de cabelos é sinal de felicidade. Segundo seus amigos, quando morena está triste e com perucas cor-de-rosa aderiu à loucura.
Da Redação

Dona da história

Sempre polêmica e sem papas na língua, ela está mais calma e tranqüila. Pelo menos essa é a Preta Gil que aparece na nova edição da revista RG Vogue. Depois de sair nua na capa de seu CD e falar diversas vezes que era bissexual. A cantora está mais recatada. “Tudo o que tinha para falar de indecente e imoral já falei. Fico refletindo uma imagem de uma Preta do passado que já não existe. Não namoro mulher há, sei lá, uns dez anos.”A filha de Gilberto Gil e mãe de Francisco, de 14 anos diz que detesta piadas de mau gosto a respeito de seu corpo: “Quando tinha um programa na Band, pesava 60 quilos, 22 a menos que hoje. E ninguém dizia que estava magra. A imagem de gorda era tão forte que engordei de novo, me submetia àqueles regimes horrorosos, fiz três lipos e tomei todas as substâncias terminadas em “ina’. Hoje sei que emagrecer é uma questão de vergonha na cara”.
Da Redação

Ajuda às “burraldas”

Grande parte das mulheres,por mais bem-resolvidas em sua vida, inteligentes, independentes e espertas, com certeza já enfrentaram situações na vida amorosa que as fizeram se comportar como completas idiotas. Pensando nessa situação quatro amigas se reuniram e escreveram o livro Mulé é um bicho burro mermo!. A obra é um divertido manual de sobrevivência em relacionamentos e defende a ideia que todas as pessoas emburrecem quando se apaixonam.

Baseado no sucesso do site www.muleburra.com, as autoras Danielle Means (professora de Português e cronista), Giseli Rodrigues (profissional de Recursos Humanos), Lina Vieira (bacharel em Letras) e Ana Márcia Cordeiro (professora de Geografia) decidiram ampliar a ajuda às “burraldas” com a criação do livro, que se mostra como um desabafo coletivo, levando muitas mulheres a se identificarem com as histórias e aproveitarem as ,dicas das autoras.

Com uma linguagem simples e escrachada, mas cercado de humor, a obra mostra aventuras e desventuras amorosas: as dores de cotovelo, os foras e as situações inusitadas que comprovam a capacidade infinita, incoerente e inimaginável que as mulheres têm de perder a razão quando amam. O livro (Matrix Editora, 152 páginas e preço sugerido de R$ 23) revela que “as mulheres comentem erros e se deixam enganar quando estão cegas pela paixão e que esse comportamento não tem idade para acontecer”.

Trecho do livro

“Toda mulher inteligente é uma burra assumida. Só as burras são capazes de acreditar no amor, mesmo depois de várias desilusões amorosas, cicatrizar as feridas do coração e recomeçar do zero (sem mágoas, medos ou sombras do passado), quantas vezes forem necessárias. Viver é emburrecer, porque nada de grande no mundo é feito sem paixão.”