O setor de construção civil atingiu seu maior valor de mercado da história em novembro. Suas empresas combinadas chegaram a R$ 42,4 bilhões, valor 167% superior ao do mesmo período do ano passado

Fundos imobiliários atingem recorde de 500 mil investidores pessoas físicas, um terço do total em Bolsa.

Já, a Bolsa de Valores bate recorde em cima de recorde, com cada vez mais investidores apostando na economia real, que traz desenvolvimento e cria empregos. Isso que ainda não vieram, com força, os estrangeiros.

Esta semana saiu a prévia da inflação do mês de novembro, registrando a menor variação em 21 anos. Para não dizer que ela não chegará a 3% em 2019. E essa já foi inflação de 1 dia no Brasil.

A taxa de juros de 5% é a menor da história.

Aprovamos uma reforma da previdência robusta, embora eu tivesse aproveitado para fazê-la mais longeva.

Temos queda significativa no número de homicídios.

O déficit nas contas públicas que se estimava em R$ 139 bilhões vai ficar abaixo do R$ 80 bilhões.

Se o dólar está alto, é muito por reflexo das crises externas e, mesmo isso, beneficia nossas exportações.

Pergunta: alguém aí está pessimista quanto a 2020 e ao momento histórico que vivemos?

Para quem lembrar do desemprego, ele também está diminuindo, mais lentamente, porque o mercado de trabalho mudou, os autônomos e os microempreendedores individuais são, cada vez mais, em maior número.

Não sou otimista, sou realista e estou nisso há 32 anos.

O Brasil vai decolar, podem apostar.