Ainda não temos, no Brasil, a cultura da Educação Financeira e Previdenciária. Educação Financeira para não passar apuros no presente e Previdenciária para não passar apuros no futuro. As duas caminham juntas, porque quem não se organiza, fecha o mês no vermelho ou, na melhor das hipóteses, paga as contas do mês, mas não consegue poupar.

A Educação Financeira ensina a fazer e cumprir um orçamento, a planejar, e saber a importância e o valor do dinheiro.

Ter uma vida financeira organizada começa com a avaliação das despesas e receitas mensais. Parece óbvio, mas a maioria das pessoas não sabe quanto gasta a cada mês!

O segundo passo é fazer uma “reengenharia das dívidas”, se houver. Isto nada mais é do que listar seus empréstimos no cartão de crédito, na conta corrente e todos os outros, com os prazos e juros de cada um. Somá-los e trocá-los por um novo empréstimo, único, com prazo maior e juros menores.

Renegociar dívidas é coisa normal hoje em dia. Uma conversa sincera com o credor vai trazer boas surpresas. Afinal, para ele é melhor receber alguma coisa, que coisa nenhuma.

Depois do orçamento organizado, com as dívidas sob controle, é imprescindível adotar novos hábitos de consumo e cortar gastos.

Fuja dos supérfluos. Diminuir o pacote de TV a cabo, comprar só o necessário no mercado, falar um minuto por ligação é o suficiente no celular. Cortar jantares e baladas por um tempo, usar o carro só para o indispensável, diminuir um dia de diarista, por exemplo. Isto pode fazer falta, mas não para viver. Acredite: é possível reduzir uns 15% do gasto mensal com estas pequenas atitudes.

E quando tiver que gastar, gaste com sabedoria!

Compre à vista, mas se não tiver todo o dinheiro, nunca financie em mais de 3 vezes. Assim, é fácil controlar e a dívida vai embora logo.

Quem é autônomo ou tem remuneração variável precisa ter disciplina para não gastar antes de receber. Organize suas despesas fixas – as despesas mensais e indispensáveis – para que não sejam maiores que a receita fixa com a qual se pode contar. O dinheiro extra ou aquele que vem das comissões deve ter como finalidade cobrir os gastos esporádicos.

Organizada a vida financeira, chega a hora de aprender a poupar. Com uma reserva financeira para os gastos imprevistos, evitam-se novas dívidas. E com o planejamento é possível garantir o futuro, através de uma Previdência Privada, por exemplo.