Sem propaganda e lotado! Almoço ‘secreto’ no Xaxim é tradição há 49 anos

Foto: Átila Alberti / Tribuna do Paraná.

Mesmo sem fazer propagandas, há um almoço clássico no Xaxim muito bem recomendado. O bar e lanchonete Caverna oferece há 49 anos um belo almoço simples, comidinha caseira e preço super em conta. Lotado quase todos os dias, quem conhece o Caverna faz questão de contar o achado por aí.

*** Por motivo de falecimento de um membro da família, o Bar do Caverna não abriu nesta sexta-feira (28) e não vai abrir neste sábado (29). O atendimento será normalizado a partir de segunda-feira (1°).

“O pessoal sempre recomenda. Uma vez estava no Nordeste e alguém me recomendou o Caverna como um dos lugares para conhecer em Curitiba. Nosso almoço é simples, sistema comercial, comidinha caseira e boa. A comida é boa e o preço também. Tem dias que estamos em apuros. Tem gritos na cozinha, ficamos todos loucos, mas nos damos bem”, conta, descontraído, Alessandro Rebelatto, 52 anos, gerente do local.

O Rango Barateza foi provar o almoço do Caverna semanas atrás. Pedi um Prato Feito, o menor da casa, mas mesmo assim muito bem servido. Por apenas R$ 18, PF da casa vem com arroz, feijão – carioca ou preto à escolha, macarrão com molho de tomate, banana à milanesa na terça e quinta, aos sábados, segundas e quartas vem com legumes cozidos. Ainda vem no PF batata frita, salada com duas verduras e três legumes, mais a proteína escolhida. Há dois tamanhos de Prato Feito, o menor de R$ 18 e o maior de R$ 20.

Pedi um bife acebolado – que é ideal para uma boa avaliação. Bifes são excelentes para checar a qualidade de um bom restaurante. Ou ele é bom, ao ponto, macio e bem temperado, ou ele é seco, duro, com nervos, muito salgado. No Caverna, o bife acebolado não decepcionou. É feito no ponto certo, com bastante cebola.

“Aqui não tem nada de light, é tudo fritura, né?”, brinca o gerente Alessandro. Entre as opções de carnes, frango à passarinho, peixe à milanesa, costela bovina ao molho, steak daquele industrializado, bisteca. “Vão mais de 100 ovos por dia. Então, de light não tem nada”, explica.

Geralmente, há quatro opções de carne todos os dias. Na quarta tem peixe e na sexta e sábado bucho. “Não é dobradinha, a dobradinha é mais caprichado. Mas o bucho é bem cozidinho, calabresa e tempero e o pessoal gosta”, comenta.

Para quem gosta de mais espaço, mais cumbucas e mais comida, existe a opção do comercial. O almoço nesse caso vem tudo separado e com mais um ovo. A diferença é de R$ 4. “Tem gente que pega o comercial e divide em dois e a gente deixa. Não pode repetir. A gente cobra R$ 1 pelo prato. Se pede mais um ovo, dá mais R$ 2”, comenta.

Boteco ou bar? Restaurante consagrado!

A fachada, o nome e a pintura podem enganar quem passa pela região. “Tem gente que mora uns 30 anos por aqui e nem sabe que servimos almoço. Tem gente que acha que o movimento é por causa do bar. Parece um boteco. Começamos pequenos, aí a Vigilância veio, pediu para a gente dar uma melhorada. A cozinha era pequena, com teto de madeira e chegou a pegar fogo uma vez. Então eles deram uma chamada de atenção e tivemos que nos virar. Deu certo, mesmo sem dinheiro. Conseguimos aumentar para os fundos e também para cima. Graças a Deus continuamos lá”, comenta Alessandro.

O Bar do Caverna foi fundado pelo seu Euclides Rebelatto, que faz 80 anos em julho deste ano. Ele é pai do Alessandro, que faz a gerência toda. Aliás, seu Euclides nasceu onde atualmente é o bar. Antes, era apenas um bar. O almoço começou depois de alguns anos. “Havia um movimento na hora do café, depois à tarde e até 21, 22 horas da noite só bar. Depois foi diminuindo, o povo foi bebendo menos. Então daí ficou só bar e lanchonete”, recorda.

“Foi sempre no mesmo lugar, começou pequeno e foi aumentando. Só não tenho a certeza do porquê o nome Caverna. Meu pai e meu tio que abriram, mas meu tio faleceu em novembro do ano passado. Eu comprei a parte dele em 1991. Na época que abriram o bar, tinha umas cavernas. É tão velho que o Xaxim ainda era uma caverna. Então é isso, tem gente que pede para desenhar o Capitão Caverna”, brinca o gerente.

Durante anos, o bar e lanchonete segue com o mesmo sistema de almoço. Há um receio grande de uma mudança para buffet. “O pessoal gosta do PF, de ser atendido, de ter tudo separadinho. No começo, a gente colocava a salada num canto, a carne por cima. Agora vem tudo mais separado”, relembra. Alessandro continua, “o almoço é o nosso sustento, é o carro-chefe mesmo. A gente serve ali mais de 200 refeições por dia. A gente nunca contou de verdade porque é tudo desorganizado. Deixamos o fornecedor rico e ficamos na mesma”, brinca.

Simplicidade, do almoço ao pão com bolinho

Se o almoço é o carro-chefe, o lanche mais conhecido é o X-Caverna (R$ 21), um sanduíche aberto com tudo que tem direito: hambúrguer, ovo, salada, batata frita, pão e etc.

No entanto, o queridinho da casa mesmo é o famoso pão com bolinho. Por apenas R$ 9, o clássico dos bares e botecos de Curitiba é honesto e bem feitinho no Caverna. “É feito no pão francês, maionese, molhinho de cebola. O bolinho é feito com carne, pão amanhecido, cheiro verde, trigo. Fazemos todos os dias e o pessoal gosta”, revela.

X-Caverna. Foto: divulgação.

*Os valores do cardápio divulgados no post são de junho de 2024 e podem sofrer alterações.

Bar do Caverna

O Bar do Caverna fica na Rua Francisco Derosso, 435, no Xaxim. O almoço funciona de segunda a sábado, das 11 às 14 horas. Não abre aos domingos e não realiza serviço de entrega. Almoço no local ou retirada de marmitas.

CONFIRA O MENU COMPLETO DO RANGO BARATEZA:

Sanduíches;
Sopas;
Pizzas;
Massas;
Doces e sobremesas;
Salgados;
Pratos feitos;
Carnes;
Petiscos;
Buffet.

Tem dicas de Rango Barateza? Manda aí!

Quer sugerir lugares com Rango Barateza para o blog? Então escreve para eloas@tribunadoparana.com.br. Aceitamos dicas por Curitiba, manda aí!