Um turista chegou em certa cidade histórica com o objetivo de visitar um famoso sábio. O turista ficou surpreso ao saber que o sábio morava num quartinho muito simples e cheio de livros … as únicas peças de mobília eram uma cama e um banquinho. ” – Onde estão seus móveis ? ” perguntou o turista. E o sábio bem depressa olhou ao redor e perguntou … ” – Onde estão os seus ? “.  “ – Os meus ? ” surpreendeu-se o turista … e continuou …” – Eu estou aqui só de passagem ! ” …. ” – Eu também … ”  concluiu o sábio.  

Não somos seres humanos passando por uma experiência espiritual. Somos seres espirituais passando por uma experiência humana.   

     Quando alguém fala em viajar ou quando o assunto vem a tona, o ponto importante mesmo é Arriscar ! Pouquíssimas pessoas aceitam essa palavra em seu vocabulário. Arriscar é arriscado … pra quê ? Resposta : Para  virar a página !  Para ver um capítulo diferente ! Ousar, desafiar, aventurar, fugir do comum … abrir mão de outros confortos … só quem vive isso reconhece o esforço, porque é somente ao vivo que se vislumbram certos momentos e certos prazeres. Ouvi alguém dizer um dia : ” Não é porque as coisas são difíceis que não nos arriscamos. É porque não nos arriscamos é que as coisas são difíceis. ”

     Observar não é experimentar ! É importante que o ser humano viaje para lugares que não conheça para quebrar os paradigmas e a arrogância que temos em ” imaginar ” ou ” achar ” como seja um certo lugar. Mesmo sabendo onde vai ou já ter estudado tudo sobre o local, não dá para saber a real experiência de estar lá. Pode ser ainda melhor ou ter uma grande decepção. Isso você vai saber somente quando estiver lá ou quando voltar ! Algumas viagens tornam-se lendas e chega-se a suspeitar se você esteve realmente lá, uma verdadeira alienação da realidade. Alguns lugares pelo mundo te deixam tão deslumbrados ou chocados que sua verdadeira analise ocorre somente quando volta para casa. Aí é que cai a ficha ! Você nunca volta de uma viagem da mesma forma que foi ! E essa ” mágica ” se repete toda vez que você assiste um programa que mostra os lugares onde esteve, é uma sensação simplesmente maravilhosa ver pela TV novamente aquilo que você já viveu.  

    Desligar da sua realidade por um tempo, viver ” outra vida ” sem lembrar de certos problemas, considerando que cada um terá uma experiência diferente. Ser arremessado a outra dimensão numa sucessão de acontecimentos únicos e é nesse exato instante que uma viagem começa a fazer efeito, recebendo com alegria o que está por vir. O mundo gira … o mundo muda … e você muda a cada novo roteiro e realização.

     A vida é baseada em conhecimento. Se é baseada em conhecimento, o que importa mesmo é inovação ( arriscar ), capacidade de inovar, quebrar paradigmas ! Inovação só vem de gente, não vem de máquina. Portanto, o ser humano é a chave. Não adianta ter a melhor aparelhagem do mundo ( ou muito dinheiro ) sem o melhor computador portátil : O cérebro humano, que é capaz de ousar e realizar. E para viajar é necessário, além de dinheiro para os custos ( seja qual for o roteiro ); Coragem, planejamento, renúncia e determinação ! É necessário saber viajar, coisa que também se aprende : O real objetivo destas colunas ( e meu futuro livro ), além de todo incentivo que aqui será exposto. Os paradigmas dão força às percepções e as percepções dão força às emoções.  

Troque seu carrão importado com 6 air-bags por um popular. Venda aquele apartamento que você nunca utiliza. Esqueça aquele home theater que tem sido uma tentaçã,o há tanto tempo. Retire aquela reserva que é para a faculdade do seu filho ou do neto quando ele nascer ou para prevenir uma internação em UTI.  Venda, leiloe ou penhore aquela antiga jóia de família que está no fundo da gaveta ou do cofre há anos.  Desista, ainda que temporariamente, de outros sonhos de consumo que, em algum momento lhe parecem prioritários. Venda a moto velha … quando voltar financia outra mais nova … mas não deixe de viajar e conhecer o lugar dos seus sonhos. Ou os lugares dos seus sonhos … 

     E vamos ser sinceros … comprar carro qualquer um compra, é fácil ! Ainda mais nos dias de hoje onde as concessionárias fazem cada vez mais de tudo para vender … promoções absurdas que o cliente entra e não consegue pagar depois de 72 meses ? O difícil  é se aventurar a um lugar diferente ou desconhecido. Mas … se  você tem um carro confortável, é materialista ao extremo e não abre mão desse conforto de jeito nenhum, usufrua-o ao máximo então viajando com ele. Viaje para lugares que possa ir dirigindo ou que a viagem seja melhor por terra curtindo a paisagem, isso também é muito legal ! Cruzar o país de carro é uma experiência engrandecedora, pois assim se conhece, de certa forma, muito mais que pelo ar ou mesmo pelo mar, porém pode recair em alguns gastos ou prejuízos com o próprio veículo, o que pode compensar viajar sem ele. Às vezes uma viagem aérea acaba sendo mais em conta.

     Muitas pessoas optam por serem mochileiros, o que nada mais é que jogar uma mochila nas costas e ” cair no mundo ” gastando U$ 10,00 por dia ( acho pouco provável ), outros se desafiam atravessando o continente de bicicleta, moto, ônibus ou mesmo de carro, talvez até a pé … ( eu sou adepto de navios de Cruzeiros ) … tudo é válido e aventuroso … mesmo assim é necessário um planejamento. Não pense nem por brincadeira que sou um alienado e vivo no mundo da fantasia, eu vou é atrás das minhas fantasias, tem cada lugar no mundo que é mesmo um conto de fadas ! Os que ainda não conheci, vou conhecê-los ! Infelizmente não posso abandonar tudo e só viajar. Como todo mortal, tenho que pagar minha punição no trabalho para realizar esses desejos, mas eu trabalho para viver e não vivo para trabalhar.

Alexandre O grande, a beira da morte convocou seus generais relatando seus 3 últimos desejos :  

1)    Que seu caixão fosse carregado por médicos. Para que eles soubessem que não tem o poder sobre a morte.

2)    Que todo seu tesouro fosse espalhado pelo caminho até seu túmulo. Para que todos vejam que os bens aqui conquistados, aqui permanecem.

3)    Que suas mãos fossem deixadas balançando no ar fora do caixão. Para mostrar que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos. 

     Quando decidir por destinos longínquos, aceite a opção de abrir mão do carrão sim e se deixe levar para experiências diferentes. Pouquíssimas pessoas ousam desta forma. Particularmente não conheço ninguém que, como eu, tenha vendido um carro e feito uma grande viagem apenas por prazer, que não ligue para o material a ponto de fechar duas viagens praticamente com um ano de antecedência, entre outras loucuras que poderiam ser entendidas até como compulsividade, cada um com seus vícios …

     Lembre que nada é para sempre e você está aqui de passagem. Infelizmente o mundo material e a necessidade de ter as coisas palpáveis é grande e muito divulgada. O bom carro, uma boa casa, boas roupas, comer bem, perfumes e até jóias fazem parte também do nosso mundo. Também não abro mão de certos confortos, todos temos nossas chatices e manias. O que quero ratificar é que viajar não é só para ricos ! Afirmo isso. Viajar é uma opção de vida ! Sou uma pessoa simples que deixou de ter alguns luxos como uma grande casa. Certa vez me disseram uma coisa que me deixou muito, feliz : ” – Você mora em 47 metros quadrados de grandes sonhos ! “, é essa a idéia ! As pessoas mais felizes não tem, necessariamente, as melhores coisas. Elas apreciam o que tem. E aproveito aqui para encaixar outra frase que li em algum lugar algum dia : Não compre mais do que você realmente precisa.  Deixei de ter carro zero todos os anos e até abri mão de ter filhos, isso é opção ! Sou feliz com a minha escolha, paguei e pago por elas. Tudo tem um preço. Não é possível conseguir alguma coisa em troca de nada. Garanto que a satisfação da realização com sacrifício é totalmente compensadora quando se tem certeza do que quer. O negócio é você saber o que é supérfluo ou necessário para você, para lhe trazer felicidade, sem medo. Por mais que você não perceba e recuse-se a acreditar, o tempo voa … e com ele, mais do que a sua imagem envelhecendo no espelho, o risco é deixar de lado suas idéias, sonhos e vontades … e você não percebe ! O impossível só reside nas mãos daqueles que não tentam, você já pensou nisso tudo ? O problema é que tarde demais vai querer saber o que fez e … não tem mais tempo de recuperar. Estou apenas tentando mostrar que o mundo é muito mais do que imaginamos e vemos na nossa frente ou ao nosso redor e ficar sempre limitado, ” na mesma praia ou trocar de carro todos os anos por hábito ou para ser melhor que seu vizinho ” sem ver as grandezas e curiosidades que existem no mundo é como não aprender nada e ficar sim lendo a mesma página de um livro ou assistindo o mesmo capítulo, no máximo escrito com cores diferentes. 

     Um estudo realizado por psicólogos da Cornell University em Nova York, Estados Unidos e publicado no Journal of Personality and Social Psychology concluiu que gastar dinheiro em experiências, como viagens, faz as pessoas mais felizes do que a compra de bens materiais, sábia conclusão !  Deixar certos consumos de lado e ter determinação com um objetivo maior e específico é importantíssimo e recomendo, dentro de certos limites, mas existem ainda outros  estudos de economistas que garantem que se você deixar de tomar o cafezinho da tarde ou deixar de lado suas saídas semanais ou pizzas nos fins de semana, se não gastar com seus desejos ou trocar seus planos por outros mais econômicos ( no meu caso, viagens ) … aí você conseguiria juntar um milhão em sua conta ( ou mais ) num prazo de uns 10, 15 ou 20 anos … ? ( Pra quê ? ) … Aí eu fico pensando : se você deixar de tomar seu cafezinho, comer a sua pizza, não gastar com seus desejos ardentes imediatos ( pois eles um dia não serão mais os mesmos ) … ou se você trocar seus planos … voltando ao meu exemplo; se eu deixar de lado minhas viagens, com toda certeza eu terei um milhão em minha conta e talvez em um prazo até menor do que esses especialistas estipulam …   daí eu continuo pensando : se eu deixasse de fazer tudo o que quero e conseguir realmente ter um milhão na minha conta daqui uns 15 anos, o que eu faria ? Eu não pensaria duas vezes : Eu ia viajar ! … tomar meu cafezinho, comer a minha pizza e faria todos os meus desejos e todas as mesmas coisas que me dão prazer … porém com uma grande diferença : Daqui 10, 15 ou 20 anos não sei quais serão meus desejos e vontades e eu poderei ter perdido o que há de melhor em tudo isso que é o ” viver “, além do que é muito melhor fazer tudo o que você quer fazer o quanto antes, PORQUE A VIDA É AGORA E O PRAZER NÃO TEM PREÇO ! Hoje eu posso dizer que fiz praticamente todas as coisas que quis fazer antes de morrer … ou antes de ficar mais velho. E quando eu ficar mais velho vou saber quais serão as minhas novas vontades e desejos ao invés de poupar e poupar … quem sabe viajar pelo mundo, tudo de novo, rs. Se eu aguentar. O mais incrível disso tudo é que muita gente pensa exatamente o oposto do objetivo destas colunas e do meu futuro livro, apenas economizando e guardando … ( pra quê ?? ) e o mais triste disso tudo é que essas pessoas não percebem que estão deixando de viver.  Por outro lado, eu tiro o chapéu para todos os milhares de ido,sos que encontrei e vi pelos cantos do mundo viajando e curtindo a vida, muitos em lugares que eu mesmo não sei se eu iria ( ou voltarei ) com certa idade, mas estavam lá … considerando que nunca é tarde para fazer qualquer coisa.   

Vá mais longe … eu tenho certeza que será maravilhoso … o mundo é a maior escola que podemos ter, ensina mais que qualquer livro ou professor. Conhecimento não tem preço. Tenho consciência que a vida não é só uma aventura, também tenho meus compromissos, obrigações, trabalho, chatices e horário a cumprir, mesmo tendo, de certa forma, vivido para viajar. Espero um dia sair para uma viagem sem dia certo para voltar …  Garanto que é possível, para você que realmente se interessa por esse tema, ir mais longe reservando poucos dias do seu ano e parte de suas economias para fazer, talvez, o que nunca fez ou o que nunca teve coragem de fazer. Isso de ” reservar parte de suas economias ” vai depender primeiramente de quanto tempo e quanto dispõem de dinheiro para definir o roteiro que existe para todos os bolsos.  Caso seu sonho seja bem grande e distante, recai na persistência e na paciência em economizar para o feito, mas é possível ! Já esperei anos para realizar uma grande viagem, valeu cada centavo.  Aliás são mesmo as lembranças e as expectativas que me sustentam e me levam à próxima.  Nestas colunas ( e no livro ) pretendo ser um pouco diferente e porque não mais humilde, pois muitos lugares e passeios estão bem próximos e você nem sabe que eles existem. Ainda no ponto de bolso e dinheiro, por outro lado existem as pessoas que tem muito, são podres de rico e não se interessam, não curtem ou não sabem viajar. Já conheci milionários com depressão !?  O que recai no ponto crucial para se aventurar de verdade :  A intenção. 

Viajar é um estilo ou opção de vida, pois a única coisa que se leva desta vida é a vida que se leva !  

     Paulo Coelho cita em seu livro O Aleph : ” A vida não é uma estação. A vida é um trem ! “.  Para mim a vida já é por si uma grande viagem, não a desperdice ! Você nunca saberá quando vai desembarcar desse trem …

Marcelo Costa Kasprzak  

www.omundoseuviaje.blogspot.com

omundoseuviaje@hotmail.com

PRÓXIMA PUBLICAÇÃO 23/04/2012 > CRUZEIROS

PUBLICAÇÕES ANTERIORES ABAIXO