Conhecido pelo polo gastronômico e turístico de Curitiba, o tradicional bairro Santa Felicidade, formado há mais de 140 anos por imigrantes italianos, terá sua história contada nas telonas.

Itálicos irá mostrar a história do bairro apresentado pelos próprios moradores da região, que mantêm a identidade cultural através do artesanato em vime, da produção do vinho, do ofício dos ferreiros e das festas populares, rememorando o passado a partir de antigos filmes.

VEJA MAIS: Curitiba recebe festival com sessões gratuitas

O documentário é dirigido por Otavio Zucon, historiador e coordenador do projeto que deu vida ao média-metragem. Zucon desenvolve há mais de 10 anos pesquisas na área de patrimônio imaterial, em especial realizando documentários. A equipe de pesquisa e produção é formada por Geslline Braga, Vanessa Durando, Lucas Rachinski, Diogo Marques e Victor Chico.

O filme “Arte da Ferraria” serviu de pesquisa para a realização do documentário “Itálicos”. Foto: Geslline Braga

O filme tem lançamento no dia 20 de novembro, na Cinemateca de Curitiba. Logo depois, terá exibição em Santa Felicidade, no dia 28 do mesmo mês. E, por fim, uma sessão na Universidade Federal do Paraná (UFPR), no evento de 60 anos do Departamento de História da universidade, prevista para o dia 29 de novembro.

CONFIRA TAMBÉM: Filme gravado no interior do Paraná faz história em festivais

Após a exibição nos cinemas, o filme será distribuído de forma gratuita para as redes municipais e estaduais de ensino de Curitiba. Serão 3 mil cópias.

Itálicos teve viabilização da Lei de Incentivo à Cultura de Curitiba, apoio da Ademilar, Rede Condor de Supermercados e Restaurante Madalosso.

Serviço – Exibições do documentário Itálicos

Cinemateca de Curitiba
20 de novembro, às 19h30
Endereço: R. Presidente Carlos Cavalcanti, 1174 – São Francisco

Salão Scalabrini – Igreja Matriz de Santa Felicidade
28 de novembro, às 20h
Av. Manoel Ribas, 6252 – Santa Felicidade

Universidade Federal do Paraná – Campus Reitoria
29 de novembro, às 20h30
R. General Carneiro, 460 – Edifício D. Pedro I, anfiteatro 100 – Centro