No final da década de 1970, a Bombril, que liderava as vendas de palha de aço no Brasil, resolveu apostar num garoto propaganda bem humorado e longe dos padrões dos galãs das grandes marcas. A ideia foi do publicitário Washington Olivetto em investir no ator de teatro Carlos Moreno.

+Leia também: Isis Valverde posta foto fazendo topless e mata seguidores do coração

Magro, careca e de traços marcantes, o garoto Bombril conversava com as donas de casa, com os telespectadores. As propagandas da marca eram sempre as mais aguardadas e chegavam a dar mais audiência que muito programa da época.

Carlos Moreno entrou para o Guinness como a campanha que ficou mais tempo no ar em toda a história da propaganda mundial. Antes de se tornar conhecido, o ator tinha formado em arquitetura pela FAU (USP) e feito pós-graduação nos Estados Unidos.  Em 2004, ao fim do contrato com a Bombril, Carlos Moreno tinha 337 comerciais gravados com a empresa.

+Leia também: Abalada, Marina Ruy Barbosa lamenta no Instagram: ‘não consigo parar de chorar’

Carlos Moreno voltou a aparecer nos comerciais da Bombril com um novo contrato até abril de 2007. Fez comerciais para outras marcas e até universidades espalhadas pelo Brasil. 

O Garoto Bombril também esteve na  bancada da Bombril com as humoristas Monica Iozzi e Dani Calabresa, integrantes da volta da campanha “Mulheres Evoluídas” que mostrava que as propagandas da década de 1980 eram retrógadas ao designar as tarefas domésticas eram apenas para as mulheres. A mais recente aparição de Carlos Moreno foi neste ano, em 2019, nas propagandas da Bombril para anunciar o aplicativo Stranger Antenna, em parceria com a Netflix.

Uma das últimas aparições foi em uma propaganda da Netflix. Foto: Reprodução