O fenômeno Pabllo Vittar é impressionante mesmo. A drag queen já esteve até no Rock in Rio desse ano! No Altas Horas do último sábado (28), a cantora foi a principal atração global de Serginho Groisman. Podem reparar como ela tem a entonação de voz parecida a do cantor inglês George Michael, falecido esse ano. Bom, pelo menos essa é a minha opinião. Que parece, parece. Enfim, gostem ou não, a cantora é um fenômeno! Esses dias, ela foi fazer uma tatuagem e virou notícia só porque era véspera do aniversário dele.

Esse tipo de sucesso meteórico não é de hoje. Na década de 1980, Markinhos Moura, que cantava parecido com Elis Regina, fez muito sucesso com a música Meu Mel. Depois do sucesso nacional, que rendeu diversas aparições em programa de TV, ele simplesmente desapareceu e agora está tentando retomar a carreira tocando em bares da noite paulistana. Vale a pena dar uma olhada na apresentação de Markinhos Moura no Globo de Ouro de 1987.

Nos anos 1990, um cantor de bigode imponente, correntes no pescoço e estilo bonachão fez muito sucesso com uma única música chamada Talismã. A canção era presença constante em programas como Xou da Xuxa e Clube do Bolinha (na Bandeirantes). Elson desapareceu, mas a música dele não. A dupla Leandro & Leonardo regravou o sucesso ainda no início da carreira. E tem mais: a música virou uma das preferidas em karaokê no final dos anos 1990. Era uma febre cantar a letra de amor rejeitado de Talismã.

Agora é esperar! E você, acha que o Pabllo Vittar ainda estará fazendo sucesso daqui uns dez anos? Experiências passadas dizem quem não. Quem sabe essa maranhense, da terra de Sarney, consiga mudar história. O Sarney está por “séculos” na política.