Autor do livro Uma Nova Luz na Sala – Histórias de TV Paranaense, o jornalista Sandro Dalpícolo, da RPC, foi o escolhido para representar o Paraná apresentando o Jornal Nacional por um dia durante a comemoração dos 50 anos do telejornal. O livro é de 2010 e conta com diversas entrevistas e depoimentos de personagens da história da TV no nosso estado.

Dalpícolo mostra detalhes do período pré-televisão, ainda na era do rádio. Aqui no estado, a Clube Paranaense era a grande rádio e estava entre as maiores do Brasil. No livro, o jornalista fala do tempo em que a afiliada da Globo em Curitiba se notabilizou pelas produções locais, como a novela A Última Carícia, que teve 30 capítulos e apresentada três vezes na semana. Isso era o ano de 1964, conta Dalpícolo no livro.

+Leia também: Fernando Rocha faz desabafo e fala em ‘tapete puxado’ em saída da Globo

Além da linha do entretenimento, o apresentador do telejornal Boa Noite Paraná traz fatos importantes de coberturas jornalística da RPC ao longo das décadas, as mudanças de padrões e as primeiras transformações com a chegada da era digital.

Uma dessas coberturas marcantes foi a transmissão ao vivo do título brasileiro do Coritiba, em 1985, na final contra o Bangu no Maracanã, que também é lembrada no livro. Um fato curioso naquela transmissão é que o primeiro tempo teve uma transmissão vinda do Rio de Janeiro, comandada por Galvão Bueno. Na segunda etapa e nos pênaltis, a narração foi com uma equipe da TV Paranaense presente no estádio que era o maior do mundo na ocasião.

Sandro também destaca a cobertura da RPC, em parceria com a Gazeta do Povo, chamada de Diários Secretos, uma série de reportagens iniciada em 2008 sobre funcionários fantasmas da Assembleia Legislativa do Paraná feita por meio de micro câmeras, premiada nacionalmente.