Como vocês já devem saber, as duplas Zezé Di Camargo & Luciano, Chitãozinho & Xororó e mais cantor Leonardo – sem o irmão Leandro falecido em 1998, vítima de câncer – anunciaram a volta do projeto “Amigos”. A ideia é fazer apresentações pela Brasil com os grandes sucessos das duplas. Nas redes sociais, tem gente comemorando a volta, outros dizendo que é falta de grana ou o sucesso do sertanejo universitário de YouTube que motivam a volta dos veteranos. 

+Leia mais: Turnê ‘Amigos’ têm datas, locais e preços definidos, mas Curitiba fica de fora

Mas, para quem não lembra, o projeto “Amigos” originalmente não era um show. Na verdade, era um especial exibido nas terças-feiras nas noites da Globo nos anos 90. Mostrava algumas apresentações das duplas, mas também contava os bastidores da fama. Os caras estavam em alta mesmo.

No entanto, um detalhe chama atenção: mesmo com todas as mudanças tecnológicas e sucessos instantâneos, as duplas ainda carregam muitos fãs, especialmente público feminino. Há uns dois anos, pude participar de um evento que contaria com a presença apenas de Zezé Di Camargo. Detalhe: era a inauguração de motel em Curitiba e ele nem ia cantar ou se apresentar – o parceiro Luciano estava na cidade e não compareceu. Mas filas de carros e de fãs se formavam do lado de fora do local. E eu imaginando que seria sossegado trocar uma ideia como cantor…

Não teve jeito porque aglomeração em torno de Zezé era impressionante, assim como os gritos das fãs. Então, quem pensa que os caras não têm mais lenha para queimar pode estar enganado, porque o projeto da volta dos “Amigos” é capaz de funcionar. Goste ou não. Além disso, é bem possível que os “Amigos” recebam convidados da nova geração, por que não?