A alimentação é um dos principais pilares para o emagrecimento saudável e sustentável, e o déficit calórico negativo é empregado dentro de inúmeras dietas com a finalidade da redução de peso. Isso significa que você deve gastar mais calorias do que ingere para emagrecer. Mas você sabe qual a melhor maneira de fazer isso?

Na busca pela dieta ideal podemos encontrar diferentes tipos, com nomes diversos e formas distintas de realização. Dentre tantas opções o Jornal Internacional da Sociedade de Nutrição Esportiva, publicou em 2017 uma revisão sobre o seu posicionamento a respeito das diferentes dietas e a composição corporal. Sugeriu que as dietas podem se classificar em grupos com seus prós e contras.

Entenda quais são:

Dieta de Baixa Energia – popularmente conhecida com regime, apresentando o consumo calórico diário entre 800 a 1200 kcal por dia. Em seus prós há uma rápida perda de peso inicial, seu ônus é a grande chance do efeito sanfona devido a termogênese adaptativa.

Dieta de Baixa Gordura – São dietas em que a gordura representa 10% a 30% dos macronutrientes consumidos. Essas dietas tem o apoio das principais organizações de centro de saúde, devido à base de evidências na literatura sobre os efeitos na saúde.

Dieta Lowcarb – Possui pouca quantidade de carboidratos e não é relevante a quantidade de gordura dos alimentos, facilitando as escolhas alimentares. Entretanto essa dieta pode falsamente transmitir que o carboidrato é um vilão no emagrecimento.

Dietas Cetogênicas – são dietas que quase não apresentam carboidratos, no máximo 50g por dia representando no máximo 10% dos macronutrientes e apresentam alta ingestão de gorduras. Essa dieta restringe alimentos ricos em carboidratos atrapalhando o rendimento nos treinos de alta intensidade e desafiam a aderência a longo prazo pelo excesso de restrição.

Dietas Hiperprotéica – Dietas ricas em proteínas favorecem o ganho de massa muscular e a sensação de saciedade. Dependendo das fontes de proteínas escolhidas essa dieta pode ser dispendiosa.

Jejum Intermitente – Divididos em 3 tipos; jejum de 24h em dias alternados, jejum de 24h de um a dois dias na semana e jejum diário de 16 horas a 20 horas. O jejum permite a fácil manutenção da dieta e facilita diminuindo a sensação de fome como a dieta cetogênica. Porém o jejum intermitente diminui a produção dos hormônios testosterona e T3.

Em busca da melhor dieta para o emagrecimento, um estudo americano da Universidade Harvard, publicado em 2009, uniu mais de 800 pessoas acima do peso por 2 anos, dividindo em 4 grupos de dietas diferentes. Essas dietas foram duas com baixa gordura, uma com alto teor de gordura, proteína e carboidrato médios e a última a dieta lowcarb. Os resultados apresentados não mostraram diferença na perda de peso entre os diferentes tipos de dietas para o emagrecimento.

Ambos os estudos concluíram que todas as dietas podem ser igualmente eficazes para o emagrecimento, que o importante é a redução das calorias ingeridas e a consistência no processo e que para obter sucesso a longo prazo em uma dieta é preciso considerar a adaptação individualizada, as preferências pessoais e culturais de cada um.

Assim, a sua dieta não deve conter neuras ou radicalismo, você necessitará de responsabilidade e maturidade para empregar alimentação adaptada as suas preferências para mantê-la por um longo período.

Referência:

Sacks et al. (2009) Comparison of Weight-Loss Diets with Different Compositions of Fat, Protein, and Carbohydrates

International Society of Sports Nutrition Position Stand: diets and body composition

Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Instagram Compartilhe no Twitter Compartilhe a Tribuna