Reflita e entenda um pouco sobre como o lugar que a pessoa costuma frequentar tem relação com os comportamentos dela, aquilo que se interessa e valoriza. Isso pode te ajudar a pensar sobre os “tipos” de homens/mulheres com quem você se relacionou nesses últimos tempos, percebendo alguns motivos de suas frustrações e decepções.

Os ambientes que o outro escolhe, vai e convive, diz muito sobre as prioridades e necessidades dele naquela fase da vida (isso pode mudar ao passar dos anos). Não significa que a pessoa gosta e tem apenas aquelas características que o local representa. Mas vale lembrar que quanto mais ela repete e passa o seu tempo naqueles espaços, mais significados e representações os lugares tendem a falar dela.

Por exemplo:

Academia, anda de bicicleta, montanhismo, dança…

Espaços com animais, grupos ecológicos, natureza, praia…

Religião (vai aos cultos? com qual frequência?)

Biblioteca, faculdade, grupos de estudo, museu

Bares (qual o estilo do bar?)

Cafés, bistrô, restaurante (caros ou mais informal?)

Locais frequentados por quem? (familiares, jovens, gente que gosta de determinado tipo de roupa e música, com quais ideias e estilo de vida?)

Interesses, planos, objetivos, convicções também podem ser observados e representados nos locais que ela costuma frequentar.

Ao considerar essas questões, você pode conhecer um pouco sobre as características, interesses e comportamentos da pessoa. Pode também avaliar se é isso que você procura em um relacionamento, se tem coisas em comum com você.

PS: não se engane achando que com essa reflexão você dirá quem “é” a pessoa. O texto apenas propõe analisar essas situações, pois é válido, importante e interessante levar em consideração.