Desde criança, alguns aprendem a não falarem sobre suas emoções (tristezas, conflitos, etc). A pessoa escuta dos familiares que é errado ou negativo dizer o que sente. Assim, ela entende que precisa conter seus sentimentos, guardando tudo para si.

Quando essa criança se torna adulta, ela pode ter dificuldade em admitir os seus problemas emocionais. Afinal, ela aprendeu a esconder suas emoções, aquilo que sente, pensa e sofre. Não se permitiu e nem se permite escutar os pensamento que falam sobre seus sentimentos, tendo dificuldade em reconhecer suas angústias, conflitos, desejos e necessidades

Como não foi estimulada a falar sobre si, é comum ela se afastar ou se tornar “arisca” quando alguém tenta ajudá-la, ou quando alguém se aproxima dos seus sentimentos.

Normalmente, prefere não demonstrar que está abalada (emocionalmente) nem aos seus familiares. Também costuma ser mais quieta e reservada. Por tanto se fechar, chega um ponto que não consegue se controlar e acaba explodindo.

Essa postura de silêncio traz muitos problemas para a sua saúde física e emocional. A pessoa precisa:
Não lutar contra os sentimentos, contra o próprio suas necessidades emocionais
Permitir sentir e receber ajuda / apoio emocional
Acreditar que é capaz de superar e enfrentar as dores emocionais, podendo encarar os seus medos.

Quando não conseguir sozinha, é fundamental o acompanhamento com o psicólogo.

www.michelliduje.com.br

Compartilhe no WhatsApp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Instagram Compartilhe no Twitter Compartilhe a Tribuna